Revista do mês
Nova Escola
Assine Nova Escola
publicidade

Prova Brasil de Língua Portuguesa - 9º ano: variação linguística

Esta prova exige repertório para ler e entender textos dos mais simples aos mais complexos, dependendo do vocabulário, da organização e das pistas linguísticas, entre outros aspectos. A análise das questões e as sugestões didáticas a seguir são de Claudio Bazzoni, assessor de Língua Portuguesa da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo e selecionador do Prêmio Victor Civita - Educador Nota 10

Saiba mais sobre a Prova Brasil 2011

Relacionar partes do texto (Descritor 13)

Assaltos insólitos

  Assalto não tem graça nenhuma, mas alguns, contados depois, 
até que são engraçados. É igual a certos incidentes de viagem, que, 
quando acontecem, deixam a gente aborrecidíssimo, mas depois, 
narrados aos amigos num jantar, passam a ter sabor de anedota.
05   Uma vez me contaram de um cidadão que foi assaltado em sua 
casa. Até aí, nada demais. Tem gente que é assaltada na rua, no 
ônibus, no escritório, até dentro de igrejas e hospitais, mas muitos 
o são na própria casa. O que não diminui o desconforto da situação. 
Pois lá estava o dito-cujo em sua casa, mas vestido em roupa de
10 trabalho,  pois resolvera dar uma pintura na garagem e na cozinha. 
As crianças haviam saído com a mulher para fazer compras e o 
marido se entregava a essa terapêutica atividade, quando, da 
garagem, vê adentrar pelo jardim dois indivíduos suspeitos. 
Mal teve tempo de tomar uma atitude e já ouvia:
15

— É um assalto, fica quieto senão leva chumbo.
Ele já se preparava para toda sorte de tragédias quando um dos 
ladrões pergunta:
— Cadê o patrão?
Num rasgo de criatividade, respondeu:

20 — Saiu, foi com a família ao mercado, mas já volta.
— Então vamos lá dentro, mostre tudo.
Fingindo-se, então, de empregado de si mesmo, e ao mesmo tempo
para livrar sua cara, começou a dizer:
— Se quiserem levar, podem levar tudo, estou me lixando, não gosto desse patrão.
25 Paga mal, é um pão-duro. Por que não levam aquele rádio ali? 
Olha, se eu fosse vocês levava aquele som também. Na cozinha tem 
uma batedeira ótima da patroa. Não querem uns discos? Dinheiro 
não tem, pois ouvi dizerem que botam tudo no banco, mas ali dentro 
do armário tem uma porção de caixas de bombons, que o patrão é 
30 tarado por bombom. 
Os ladrões recolheram tudo o que o falso empregado indicou e 
saíram apressados.
Daí a pouco chegavam a mulher e os filhos.
Sentado na sala, o marido ria, ria, tanto nervoso quanto aliviado do 
35 próprio assalto que ajudara a fazer contra si mesmo.

SANTANNA, Affonso Romano. Porta de Colégio e Outras Crônicas.
São Paulo: Ática 1995. (Coleção Para Gostar de Ler).

É exemplo de linguagem formal, no texto,

(A) "dito-cujo". (l. 9)
(B) "adentrar". (l. 12)
(C) "pão-duro". (l. 25)
(D) "botam". (l. 28)

Análise
Aqui, é preciso identificar o locutor e o interlocutor do texto nos diversos domínios sociais e perceber as variações da fala. Em Assaltos Insólitos, "adentrar" é a única palavra das alternativas propostas raramente ouvida e que, portanto, caracteriza uso de linguagem formal.

Orientações
Proponha atividades que levem a garotada a perceber diferenças entre a fala e a escrita. Peça que todos transformem um texto oral em escrito e vice-versa. É bom observar que mudar não é corrigir o texto falado, mas transitar de uma modalidade para outra. Em textos de diferentes gêneros, ajude-os a identificar o leitor virtual com base em pistas linguísticas.

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA
e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários

 

Publicado em Edição Especial Prova Brasil, Agosto 2009.
 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais
Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.