Revistas do mês
Nova Escola
Gestão Escolar
publicidade

Projeto

Resenhas literárias

Introdução
O projeto tem como objetivo principal ampliar o conhecimento da língua inglesa por meio da elaboração de resenhas literárias e destina-se a alunos do nono ano do ensino fundamental.

A elaboração das resenhas visa a estimular os alunos a ler e a expressar seu ponto de vista sobre a obra lida. Assim, os alunos do nono ano escreverão para os colegas de classe, a fim de contarem sua opinião sobre a narrativa e de convencerem os leitores das resenhas de que a leitura daquela obra vale a pena.

Nessa perspectiva, o projeto tem como propósito comunicativo a elaboração de resenhas de textos literários em inglês (que podem ser adaptados ou originais) e, ao mesmo tempo, preocupa-se em difundir obras da literatura de língua inglesa e estimular sua leitura.

Objetivos
O presente projeto está ancorado numa perpesctiva em que se valorizam os usos que os sujeitos fazem da língua nas mais variadas situações de produção discursiva. Dessa forma, acredita-se que ao elaborar textos orais ou escritos, a produção dos alunos será orientada por uma intenção comunicativa, a quem o texto se destina e como será veiculado e que gênero textual concretizará a intenção de comunicação.

Tendo claros os elementos que compõem a situação de produção discursiva, os alunos terão como problema ajustar o uso da língua à situação comunicativa, quer dizer, terão que considerar todos aqueles elementos para planejar seus textos, a fim de que estes atinjam os objetivos a que se propõem.

Nesse sentido, no que se refere ao tratamento didático, este projeto apóia-se na criação de uma situação comunicativa, uma situação que reúna características das situações reais de comunicação e em que os alunos se vejam realmente engajados na elaboração de textos e apóia-se, também, na criação de seqüências didáticas que possibilitem aos alunos aproximações sucessivas em relação ao gênero textual em questão que será, ao mesmo tempo, meio de concretização das intenções comunicativas e objeto de estudo.

Com este projeto, pretende-se que os alunos:
- Conheçam as características do gênero resenha
- Elaborem resenhas de obras literárias
- Leiam obras literárias de língua inglesa (adaptadas ou originais)
- Estimulem os colegas a realizarem a leitura dessas obras
- Escolham um determinado posicionamento enunciativo que seja adequado à situação de comunicação em questão
- Expressem sua opinião sobre a obra lida
- Forneçam informações essenciais sobre o livro lido (resumo da obra) e sobre o autor
- Façam uma avaliação global da obra
- Usem o presente simples para tematizar a obra
- Utilizem a 3ª pessoa do singular e a voz passiva como marcas de impessoalidade
- Façam uso de organizadores descritivo-narrativos para tematizar a obra, tais como: first... second, first of all, to begin with, also, in the end, finally, for example, buscando dirigir o olhar do leitor para aspectos significativos da obra
- Utilizem alguns marcadores lógico-argumentativos, como: but,however, so, even so, no sentido de convencer o interlocutor de que sua posição a respeito da obra é plausível

Ano
9º ano

Tempo estimado
8 a 10 aulas

Desenvolvimento das atividades (duração: de 2 a 3 meses)
1. Apresentação do projeto e de suas etapas principais.

2. Levantamento das obras que os alunos gostariam de ler (professor pode fazer sugestões, pode propor uma visita à biblioteca da escola, pode pedir que os alunos tragam os livros que têm em casa).

3. Escolha de obras a serem lidas sob orientação do professor. Critérios bastante significativos para orientar essa escolha são: dar preferência a livros clássicos e a textos originais ou que não sejam redutores, quer dizer, cuja adaptação tenha destituído a obra de suas características temáticas, lingüísticas ou textuais mais marcantes. É importante, também, garantir a maior variedade de obras possível, a fim de que haja um número significativo de obras diferentes sendo lidas ao mesmo tempo, o que justifica a elaboração de resenhas destinadas a alunos de uma mesma classe.

4. Levantamento do conhecimento prévio dos alunos acerca das características da situação de produção discursiva ( tematizar o que significa escrever resenhas para os colegas de classe), do gênero (resenha de obra literária) e das expectativas de leitura.

5. Leitura de uma resenha (escolhida pelo professor e de uma obra que não consta da lista de leituras da classe e cuja narrativa seja do conhecimento dos alunos). Essa leitura visa a colocar o aluno em contato com o gênero para que sejam identificadas suas características. O ideal é que os alunos já tenham tido uma aproximação anterior com esse gênero nas aulas de língua portuguesa. Dessa forma, o professor de inglês apenas retoma o conhecimento textual do aluno. Em geral, as resenhas trazem algumas informações sobre o autor e sua obra e sobre o contexto de produção da obra em questão. Se o professor salientar esses elementos no momento da leitura da resenha, ou se os alunos puderem chegar a essa conclusão, justificam-se as próximas etapas do projeto.

6. Pesquisa sobre a biografia do autor. A pesquisa pode ser feita em inglês, se o professor tiver dado orientações de leitura de textos biográficos. O professor pode fornecer ou compor com a classe uma lista de dados que os alunos devem pesquisar e que devem figurar numa apresentação oral em roda de conversa. As fontes de pesquisa podem ser variadas (internet, enciclopédias, dicionários, etc.), mas o professor sempre deve dar sugestões ou estimular que os alunos socializem o conhecimento já adquirido. Esse encaminhamento permite que mesmo num projeto didático em que o foco é a produção de texto escrito, seja possível trabalhar também a oralidade.

7. De posse dos dados sobre o autor, os alunos preparam a apresentação oral da biografia do mesmo em roda de conversa. O professor pode retomar conteúdos já estudados em séries anteriores e deve, sobretudo, evidenciar a importância do aluno abordar pelo menos os conteúdos selecionados para a pesquisa sobre a vida do autor.

8. Apresentação, em roda de conversa, da biografia do autor da obra a ser lida. O professor pode preferir que os alunos apresentem a biografia do autor por escrito. No entanto, mesclar atividades orais e escritas, como já foi dito, consiste numa estratégia bastante rica. O importante é ressaltar que as informações colhidas pelos alunos os ajudarão a compor a resenha e a compreender melhor o contexto de produção da obra a ser lida.

9. Pesquisa sobre o contexto de produção da obra. Essa pesquisa visa ampliar o repertório do aluno sobre o momento histórico em que a obra foi escrita, o gênero literário a que pertence e suas características. As sugestões das fontes por parte do professor continuam sendo fundamentais. Os alunos podem apresentar os resultados da pesquisa (de forma oral ou escrita), ou simplesmente mantê-los registrados no caderno para, posteriormente, serem usados para compor a resenha. Nessa fase do projeto, é fundamental ressaltar que estamos interessados apenas nos elementos principais do contexto de produção da obra, ou seja, em que momento histórico foi elaborada, a relação entre a biografia do autor e essa obra, entre essa obra e outras obras do mesmo autor.

10. Enquanto os alunos lêem a obra em casa, o professor orienta a tomada de notas sobre essa leitura. Essas anotações podem versar sobre o nome dos personagens e suas características, a descrição do espaço, a seqüência da narrativa, etc. É fundamental que o aluno aprenda a fazer esses registros, que não precisam ser muito longos ou detalhados, mas que serão importantes durante o processo de textualização.

11. Ainda enquanto os alunos lêem a obra em casa, o professor pode fazer seqüências de leitura de resenhas que servirão de referência para a produção textual. Nessas seqüências de leitura, o professor deve chamar a atenção dos alunos para os elementos que compõem a resenha, sua estrutura (uma mistura de texto descritivo-narrativo quando se reconta a história ou partes dela e de texto argumentativo quando se defende um ponto de vista sobre a obra). Os conteúdos a serem abordados na leitura desses textos de referência estão mencionados no item objetivos de aprendizagem. É importante que o professor escolha boas resenhas como textos de referência. A qualidade desses textos pode definir a qualidade dos textos s serem produzidos pelos alunos. Além disso, é fundamental que o professor sistematize os conhecimentos construídos acerca desse tema, já que as variações estilísticas são grandes e, se bem exploradas, podem contribuir no que diz respeito à produção dos textos dos alunos.

12. O professor pode propor que os alunos recontem, oralmente, a história que estão lendo. Essas situações comunicativas intermediárias ajudam o aluno a se preparar para a situação comunicativa final e, ainda, podem servir para que o aluno desenvolva a expressão oral.

13. Concluída a leitura da obra, é tempo de escrever. Nessa fase, é fundamental estimular o aluno a planejar seu texto, escolhendo os dados que usará para compô-lo e como vai estruturá-lo. Por isso, retomar os registros feitos no caderno ao longo da leitura é fundamental. Quanto mais bem feitos são esses registros, mas facilidade o aluno tem para textualizar a resenha. É significativo, também, que o aluno volte aos textos de referência, os analise novamente e faça escolhas estilísticas com as quais mais se identifica.

14. Ao fim da textualização, o professor lê cada resenha e propõe atividades de revisão. Essas atividades podem versar sobre os elementos de coerência ou coesão e, principalmente, sobre os conteúdos que se propõe a ensinar. As atividades de revisão podem ser feitas a partir da tematização coletiva de uma resenha em particular ou de sugestões dadas para a classe de modo geral ou para os alunos individualmente. Também são bastante profícuas as situações de trabalho em dupla, em que um aluno serve de leitor da resenha do colega e propõe alterações que sejam adequadas à situação de produção discursiva.

15. Os alunos são estimulados a reescrever seus textos com base nas atividades de revisão. Nesse processo de reescrita, o professor não pode perder de vista que todos os elementos que compõem o gênero devem ser revisados: a adequação do gênero à situação comunicativa, a estrutura do texto (texto argumentativo, mas marcado por momentos descritivo-narrativos) e os mecanismos lingüísticos (sintáticos, lexicais, etc.) que asseguram a coesão do texto.

16. O professor pode propor mais de uma reescrita e, por fim, pode solicitar que os alunos componham um painel ou uma compilação (organizada a partir de determinados critérios) de todas as resenhas produzidas, a fim de facilitar a leitura e a escolha de obras a serem lidas (voluntariamente) pelos alunos em momentos posteriores.

17. Avaliação do projeto.

Avaliação
O ideal é utilizar diferentes instrumentos para compor a nota final dos alunos. O professor pode avaliar as pesquisas, a apresentação oral da biografia e do contexto de produção da obra e as resenhas. Também pode fazer provas sobre os conteúdos tematizados durante o projeto. Lembrar sempre de não reduzir a avaliação a aprendizagem dos conteúdos gramaticais, mas avaliar todos os conteúdos a que o projeto se propôs a ensinar.

Consultora: Celina Fernandes
Coordenadora pedagógica da Escola Castanheiras e assessora educacional para a área de linguagem

Compartilhe

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários
 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais

Assine suas revistas impressas ou digitais!

Compre suas revistas digitais e e-books!

Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.