Revistas do mês
Nova Escola
Gestão Escolar
publicidade

Plano de Aula

Tiradentes e a Inconfidência Mineira

Objetivos
- Analisar as causas da Inconfidência Mineira, a partir dos instrumentos de controle e tributação coloniais

- Analisar o conflito de interesses entre a Colônia e a Coroa Portuguesa

- Conhecer os principais atores da Inconfidência Mineira

- Discutir a construção de Tiradentes como herói nacional.

Conteúdos

-Brasil Colônia

-Inconfidência Mineira

Tempo estimado
Quatro aulas

Material necessário
- Gráficos relativos à produção mineradora em Minas Gerais nos séculos XVII e XVIII, disponíveis em livros didáticos e na internet

- Imagens das telas de Pedro Américo "Tiradentes supliciado"(1893), e de Francisco Aurélio de Figueiredo e Melo, "Martírio de Tiradentes" (1893).

1° Aula
A partir do uso de gráficos relativos à produção mineradora, apresente aos alunos um panorama da situação econômica em Minas Gerais no século XVIII. Trabalhe com eles a interpretação das informações fornecidas pelos gráficos: o crescimento, o auge e o declínio da extração aurífera a partir de meados dos setecentos.

A interpretação dos gráficos deve ser conjugada à percepção de que, mesmo com o declínio da produção, o governo português criou mecanismos e formas de controle e tributação.

Discuta com os alunos a criação das Intendências das Minas, em 1702; o pagamento do "quinto" e as variações na forma de sua arrecadação; a criação da Casa de Fundição em Vila Rica, em 1720, destacando a ação do governo português contra o contrabando do ouro, contrapondo as motivações da metrópole para austeridade fiscal e os motivos que levaram os colonos a se revoltarem.

2ª Aula

O declínio da produção aurífera e a crescente pressão da Coroa portuguesa na cobrança dos impostos, agravaram a crise na região das Minas, e em 1778 a situação atingiu o auge com a criação da "derrama", que era a cobrança dos quintos em atraso. Destaque para os alunos que a derrama atingiu boa parte da elite mineira e um pequeno grupo passou, então, a conspirar contra a Coroa e a planejar o movimento de separação da capitania de Minas Gerais e a instalação de um governo republicano unitário. Conte para os alunos sobre os conspiradores, ressaltando que eram membros da elite colonial (mineradores, padres, fazendeiros, advogados, funcionários públicos e militares de alta patente) que deviam altas somas ao erário português e que, portanto, deveriam pagar a derrama.

Foque o objetivo da revolta e como os planos dos inconfidentes foram frustrados após alguns membros do grupo serem convocados à Junta da Real Fazenda, dentre eles Joaquim Silvério do Reis, que denunciou os companheiros em troca do perdão da sua dívida. Destaque a figura de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, militar de baixa patente, que mantinha boa relação com a elite local, identificado como líder. Depois desta exposição, peça que os alunos se organizem em grupos e elaborem um relatório com informações sobre Tiradentes, pesquisando em livros, revistas e internet.

3ª Aula
Pedir aos alunos que exponham as informações que encontraram sobre Tiradentes. Perguntar qual a imagem eles acham que melhor representa o Alferes Joaquim José da Silva Xavier: herói ou criminoso? Observar a reação e a opinião dos alunos e então trabalhar a construção do mito Tiradentes, comemorado até hoje em feriado nacional.

4ª Aula
Falar do inquérito que foi aberto contra os inconfidentes - a "devassa" - e do julgamento e condenação dos conspiradores, ressaltando a execução de Tiradentes. Apresentar aos alunos duas imagens sobre a condenação de Tiradentes: "Tiradentes supliciado"(1893), de Pedro Américo de Figueiredo e Melo; "Martírio de Tiradentes" (1893), de Francisco Aurélio de Figueiredo e Melo.

Peça aos alunos que observem as imagens e descrevam o que estão vendo (quais os elementos presentes nas telas; a aparência do inconfidente etc.). Pergunte aos alunos se eles acreditam que os artistas tiveram a intenção de fazer uma analogia entre a crucificação de Jesus Cristo e o martírio de Tiradentes e se eles conseguem explicar essa possível relação.O professor pode buscar outras imagens para confirmar esta suposição.

O objetivo é discutir com os alunos como a visão histórica sobre este personagem mudou, uma vez que na Colônia ele foi tido como criminoso e, com o advento da República - e a necessidade de criar uma figura capaz de sintetizar e sustentar simbolicamente o novo regime, em oposição ao Império e a herança portuguesa - Tiradentes foi alçado à condição de mártir e herói nacional.

Trabalhe com os alunos a construção da sua imagem de herói e a comemoração do dia 21 de abril. Qual é o significado de se comemorar o dia de Tiradentes nos dias de hoje? O que Tiradentes representa para nós atualmente? Sua imagem ainda guarda alguma força simbólica?


Avaliação
Avalie a interação dos alunos no momento dos questionamentos e das indagações feitas com as informações apresentadas. Analise o comprometimento e a qualidade das informações trazidas pelos alunos na elaboração e apresentação do relatório sobre Tiradentes. Avalie a capacidade criativa deles ao interpretarem as imagens e informações transmitidas por elas.

Consultora Leandro Pereira Matos
Mestrando em História na Universidaded Federal de Juiz de Fora - Minas Gerais, professor da EM Antônio Carlos Fagundes.

Compartilhe

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários
 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais

Assine suas revistas impressas ou digitais!

Compre suas revistas digitais e e-books!

Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.