Revistas do mês
Nova Escola
Gestão Escolar
publicidade

Geografia

Prática pedagógicaGeografia regional

A retirada das tropas norte-americanas do Iraque

Conhecer os motivos que levaram os Estados Unidos a ocuparem o Iraque é fundamental para entender a retirada e seu impacto na geopolítica global

Ana Gonzaga

Página   _ _
=== PARTE 1 ====
COMBUSTÍVEL BÉLICO A demanda por petróleo foi uma das razões que levaram os Estados Unidos ao Iraque. Foto: Terry Richards/AFP
COMBUSTÍVEL BÉLICO A demanda por petróleo foi uma das razões que levaram os Estados Unidos ao Iraque

No fim de agosto deste ano, começou a retirada das tropas norte-americanas do Iraque. A desocupação - 50 mil soldados ficarão por lá até 2011, contra os 144 mil de 2003, quando começou a ação - faz parte de uma intricada e complexa conjuntura, que remete aos significados históricos da geopolítica mundial e aponta para a necessidade de analisar as relações de poder entre os envolvidos nessa questão da atualidade.

Para levar a moçada a entender todos os desdobramentos da desocupação norte-americana, é fundamental compreender os motivos reais da invasão, como o desejo de controlar o petróleo naquele país (veja a sequência didática).

Afinal, o Iraque tem a segunda maior reserva do Oriente Médio. "Os Estados Unidos são muito dependentes do óleo. Por isso, tentam controlar o fluxo desse recurso no mundo", explica o geógrafo Luiz Bittar Venturi, da Universidade de São Paulo (USP). Na época da invasão, o discurso do governo norte-americano não deixava claras as intenções da empreitada, já que alegar motivação econômica poderia arruinar sua imagem perante a opinião pública. A ocupação foi anunciada como parte de uma estratégia para combater o terrorismo no chamado Eixo do Mal - Irã, Iraque e Coreia do Norte, países com supostas armas de destruição em massa. "Nessa época, os Estados Unidos se imaginavam como uma espécie de xerife do mundo e acreditavam ter uma missão internacional contra o 'mal', representado principalmente pelo islamismo", lembra o geógrafo José William Vesentini, professor da USP e autor de livros.

=== PARTE 2 ====
=== PARTE 3 ====

Continue lendo

Página   _ _
Comente

marcia custodia pereira - Postado em 08/12/2010 01:01:19

Ótima reportagem! faz-se necessário abordar temas atuais na sala de aula.

Ana Josefina Tellechea - Postado em 15/11/2010 17:19:36

Abordagem feita de maneira excelente. Devemos introduzir nas salas de aula o hábito de trazer as atualidades mundiais. As informações cotidianas devem ser levadas tão sério quanto a história, já que as mesmas se tornarão parte dela. Não podemos deixar os alunos alheios aos que ocorre no seu contexto atual.

Publicado em NOVA ESCOLA, Edição 237, Novembro 2010, com o título Guerra pelo óleo
 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais

Assine suas revistas impressas ou digitais!

Compre suas revistas digitais e e-books!

Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.