Revistas do mês
Nova Escola
Gestão Escolar
publicidade

GEOGRAFIA

Um monte é menor que uma montanha. Por que, então, o Everest é um "monte"?

Ronaldo Nunes. Com reportagem de Pablo Assolini e Rita Trevisan

Getty Images/Mario Colonel
MAIOR DO MUNDO Com 8.850 metros de altitude, o monte Everest faz parte de uma cadeia de montanhas. Getty Images/Mario Colonel

A rigor, não há diferença entre os termos monte e montanha. Denominações mais antigas indicavam as montanhas como conjuntos de montes, que, por sua vez, seriam elevações consideráveis do terreno. Atualmente, o vocábulo monte é usado em relação ao aspecto topográfico de um terreno sem considerar sua origem ou formação. O monte Everest, na fronteira do Nepal com a China, é o pico culminante da cordilheira montanhosa do Himalaia e ponto mais alto da Terra. O termo se aplica também a elevações isoladas, como o monte Fuji, no Japão, e o Kilimanjaro, na Tanzânia. Já a palavra montanha é usada para definir elevações originadas por forças tectônicas, isto é, por orogênese. Em geral, todo tipo de relevo constitui-se de algum material rochoso. Em sua formação, importam as forças do interior da crosta terrestre, capazes de provocar dobras, fraturas e falhas em sua origem.


Consultoria Ligia Cassol Pinto, docente da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG-PR), e Roberto Giansanti, geógrafo e autor de livros didáticos.

Pergunta enviada por Sabrina Gomes Ramos, Rio de Janeiro, RJ

Compartilhe

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários

Na dúvida? NOVA ESCOLA responde

Compartilhe

 

Publicado em NOVA ESCOLAEdição 226, Outubro 2009,
 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais

Assine suas revistas impressas ou digitais!

Compre suas revistas digitais e e-books!

Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.