Revista do mês
Nova Escola
Assine Nova Escola
publicidade

Sistemas endócrino e nervoso: uma dupla afinada

Os dois muitas vezes atuam em parceria. O resultado vai de mudanças complexas, como a puberdade, até as que ocorrem durante um rápido passeio em uma montanha-russa, como mostra o infográfico

Noêmia Lopes

Página de > >|
=== PARTE 1 ====

Em Ciências, um dos objetivos dos alunos é entender a dimensão global do organismo, e não enxergá-lo como sendo formado por partes independentes. Ensinar isso é um desafio, dada a complexidade dele. A tarefa pode ficar mais complicada se os conteúdos forem fragmentados. "Sozinho, o jovem terá de lidar com saberes múltiplos e reconstruir o corpo", diz Celina Moraes, professora de Ciências da Escola da Vila, em São Paulo. Para evitar isso, você precisa apresentar sistemas, órgãos, células e diferentes partes do corpo e propor que se estabeleçam relações entre eles.

Os sistemas nervoso e endócrino, por exemplo, comandam as modificações necessárias para que o corpo se ajuste a diferentes condições, segundo Carolina Luvizoto, formadora de professores da Sangari Brasil, em São Paulo. Em parceria, eles recebem e analisam estímulos externos (como luz, som e temperatura) e internos (dor ou carência de nutrientes, por exemplo) e elaboram uma resposta apropriada a cada situação. "Desse modo, atuam na regulação de funções como nutrição, reprodução e metabolismo", explica Carolina.

Antes de mergulhar no tema, vale esclarecer: alguns estudiosos preferem se referir a "glândulas endócrinas" (e não a sistema endócrino). Eles defendem que qualquer órgão retirado de um sistema compromete os demais, e essa regra nem sempre se aplica nesse caso. Outros justificam que a ideia de sistema é a reunião de órgãos com uma função comum - conceito aqui adotado.

O sistema endócrino é formado por várias glândulas. As principais são hipófise, tireoide, suprarrenais, pâncreas, ovários e testículos. Elas secretam os hormônios, que são transportados pelo sangue para todo o corpo, sob o comando do sistema nervoso, e atuam em células específicas. Este, por sua vez, é formado pelo sistema nervoso central (SNC), pelo sistema nervoso periférico (SNP) e pelo sistema nervoso autônomo (SNA). As unidades básicas são as células nervosas, que transmitem impulsos elétricos com precisão e rapidez.

Sistemas endócrino e nervoso: uma dupla afinada. Ilustração: Luciano Veronezi
Clique para ampliar

1 O perigo é identificado

Antes do passeio, receptores superficiais do corpo captam estímulos (visuais e sonoros) e geram uma corrente de impulsos elétricos para o sistema nervoso central (sNC). ele desencadeia reações. o olhar, por exemplo, fica arregalado.

2 Reações nervosas

Ao receber os estímulos, o SNC, que é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal, provoca respostas em glândulas, músculos e áreas do próprio SNC. Os músculos, por exemplo, reagem, ficando mais rígidos e tensionados.

3 Sistema endócrino

Ao mesmo tempo, as glândulas suprarrenais são estimuladas e secretam adrenalina no sangue. As pupilas e os brônquios dilatam, os batimentos cardíacos aumentam e ocorre a vasoconstrição. O corpo passa a produzir mais suor.

4 Tudo volta ao normal

Fim do passeio. Cessam os estímulos que ativam o SNC e ele para de acionar as suprarrenais. Desse modo, o organismo interpreta que pode retomar o equilíbrio. Essa recuperação leva alguns minutos e varia de pessoa para pessoa.

Consultoria Carolina Luvizoto, formadora de professores da Sangari Brasil, em São Paulo, e Joyce Muzzi, fisioterapeuta e especialista em neurologia, de São Paulo.

=== PARTE 2 ====

Página de > >|

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA
e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários

 

Publicado em NOVA ESCOLA Edição 254, Agosto 2012.
Assine já a sua revista!
Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.