Revista do mês
Nova Escola
Assine Nova Escola
publicidade

Lendas urbanas conquistam a classe

Esses textos repletos de fatos amedrontadores fazem sucesso entre a garotada. Planeje atividades de leitura e de análise para ensinar os detalhes e particularidades deles

Elisângela Fernandes

Página de > >|
=== PARTE 1 ====
Loira do banheiro. Ilustração: Raphael Salimena
Loira do banheiro Ela morreu no banheiro de uma escola e, com algodão no nariz, volta ao mundo dos vivos para assombrar os alunos.

"Credo, professora, que coisa horrível!", exclamou um dos alunos. "Não vou conseguir dormir à noite", disse outro. O medo parecia estar tomando conta da turma do 6º ano do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) durante as atividades de leitura nas aulas de Língua Portuguesa, mas, de acordo com a professora Fernanda Müller, todos estavam fascinados com as lendas urbanas.

Esse subgênero literário (que faz parte do gênero lenda) passou a integrar o planejamento quando a educadora propôs como tarefa de casa que os estudantes perguntassem a amigos e familiares quais lendas eles conheciam. Ela esperava que eles levassem para a escola histórias folclóricas como a do Saci-Pererê, da Mula Sem Cabeça, do Boto e do Curupira. Mas nada disso - só a do Negrinho do Pastoreio apareceu e, ainda assim, uma vez. Em vez deles, as crianças falaram da Loira do Banheiro, do Homem do Saco e da Gangue dos Palhaços. 

"Notei que seria interessante organizar sessões de leituras dessas lendas e problematizar as diferenças entre elas e as folclóricas, comparando as características desse subgênero com as dos contos maravilhosos e das fábulas, que estávamos lendo também", diz Fernanda.

A proposta foi aceita com empolgação pela garotada, que pesquisou uma porção de lendas urbanas. Depois, foi a vez de a professora levar para a turma um texto que contava a lenda da Mulher da Meia-Noite a fim de fazer um estudo mais focado. Ela também preparou um roteiro para orientar a leitura. O objetivo era levar os alunos a observar e sistematizar as características que marcam o subgênero. Por fim, a docente instruiu a moçada na organização de um quadro comparativo das diversas particularidades dos outros gêneros.

=== PARTE 2 ====
=== PARTE 3 ====

Compartilhe

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA
e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários
Página de > >|

 

Publicado em NOVA ESCOLA Edição 248, Dezembro 2011.
 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais

Assine suas revistas impressas ou digitais!

Compre suas revistas digitais e e-books!

Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.