Revista do mês
Nova Escola
Assine Nova Escola
publicidade

O conceito de gênero textual e seu uso em aula

Palavra de especialista
Para trabalhar com gêneros nas aulas, deve-se ter atenção às razões de sua escolha, às características e às funções do tipo selecionado. Isso é essencial para elaborar bons planos de aula – e para que esses resultem em relatos de experiência excelentes

Rita Jover-Faleiros

Página de > >|
=== PARTE 1 ====

1. Fatores a considerar no trabalho em sala 

Saber selecionar o gênero a ser trabalhado é uma necessidade para o professor. Crédito Otávio Silveira
Saber selecionar o gênero a ser trabalhado é uma necessidade para o professor
A especialista em Língua Portuguesa, Rita Jover Faleiros. Foto: Gabriela Portilho
Rita Jover-Faleiros, selecionadora do Prêmio Victor Civita na área de Língua Portuguesa

Há cerca de dez anos, durante uma sessão de fechamento dos trabalhos do Congresso de Leitura (Cole), evento organizado a cada dois anos pela Associação de Leitura do Brasil na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), um eminente pesquisador da área dizia-se impressionado pelo modo como o conceito de gênero textual marcara presença entre os trabalhos apresentados naquele ano. Segundo o professor, a tendência era o conceito aparecer cada vez mais. Ele tinha mesmo razão. "Gênero" tornou-se uma referência comum em pesquisas, propostas curriculares e nas práticas de sala durante as aulas de Língua Portuguesa. 

De fato, há grande consenso quanto ao interesse em se explorar a noção de gênero textual em contexto didático. Entretanto, para que essa atividade seja proveitosa, é necessário que o professor esteja bastante consciente de alguns fatores: 

- Quais as razões para selecionar determinado gênero; 

- Quais características o configuram; 

- Quais as funções específicas do gênero selecionado; 

- Quais objetivos de aprendizagem (específicos à área) o gênero selecionado propicia atingir junto a seu grupo de alunos; 

- Que saberes prévios e estratégias de leitura ativa o gênero selecionado mobiliza. 

A mim parece necessário que esses pontos estejam claros para os que se lançam à empreitada de desenvolver propostas de atividades com o uso do gênero. Nos capítulos deste artigo, proponho abordarei cada um desses aspectos, culminando com a ênfase em dois gêneros importantes para o professor: o plano de aula e o relato de experiências. 

=== PARTE 2 ====
=== PARTE 3 ====
=== PARTE 4 ====
=== PARTE 5 ====

Página de > >|
Compartilhe

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA
e receba muito mais em sua casa todos os meses!

 

Publicado em Março de 2013.
Comentários

 

 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais
Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.