Assine Nova Escola
Revistas do mês
Nova Escola
Gestão Escolar
publicidade

Plano de Aula

Estratégias e fundamentos do futebol

Ir para o Especial Olimpíadas Londres 2012

Aproveite o conhecimento prévio dos alunos sobre a modalidade para ensinar a origem, as regras básicas, o passe de bola e as táticas de defesa e ataque no futebol

Bola de futebol da Copa do Mundo de 2006

Objetivos
- Conhecer a origem do futebol (em que ano surgiu, em que país, onde e por quem era praticado, quais eram as regras básicas da modalidade).
- Analisar diferentes estratégias de jogo.
- Praticar o futebol, aproximando-o de elementos de outras modalidades esportivas e das brincadeiras de rua.
- Aprender alguns fundamentos da modalidade: deslocamentos, paradas bruscas, mudanças de direção, velocidade, agilidade, drible, domínio de bola, passe, chute, desarme, cabeceio etc.

Conteúdos
- Futebol: história e evolução da modalidade.
- Regras básicas e possíveis adaptações da modalidade.
- Fundamentos do futebol.
- Possibilidades táticas defensivas e ofensivas.

Anos
4º e 5º anos.

Tempo estimado
Cinco aulas.

Materiais necessários
Bolas de borracha, de iniciação esportiva, feitas com meia, de jornal com fita adesiva, de futebol, de futsal com diferentes pesos e tamanhos, garrafas plásticas, cones ou minicones, bambolês e giz.

Flexibilização
Para alunos com deficiência visual
Para a etapa de pesquisa é importante que a criança com deficiência visual tenha acesso a materiais em braile ou a softwares que possibilitam o acesso à internet, como o Jaws ou o DosVox. Antes das atividades práticas, leve o aluno à quadra para que ele reconheça o espaço. Mostre a ele os limites que serão colocados – como os cones, as traves, os bambolês etc. – e reserve um tempo para que o aluno se acostume. Uma bola com guizo é outro recurso indispensável para que o aluno cego tenha autonomia para jogar e se guie pelo som. No jogo de futepar (na 4ª etapa desta sequência) proponha que as duplas sejam formadas por um aluno que enxerga e outro cego (nas duplas formadas por crianças que enxergam uma das crianças fica com os olhos vendados). Além de trabalharem de mãos dadas, o jogador sem vendas deverá orientar verbalmente o que está vendado.

Desenvolvimento
É bem possível que todos os seus alunos conheçam o futebol e assistam a alguns jogos (ao vivo ou pela televisão). Por isso, antes dessa aula, peça aos alunos que pesquisem em livros, jornais, revistas ou na internet a história, as regras e comece uma discussão a respeito da modalidade aproveitando os conhecimentos que a turma já tem a respeito desse esporte.

Proponha uma conversa inicial sobre a modalidade e solicite que a turma comente o que descobriu na pesquisa feita em casa. Os temas que não devem faltar na discussão são a origem do futebol, as regras básicas da modalidade, os grandes times e jogadores da história.

Após a conversa inicial, comente sobre a importância do alongamento para a prática esportiva e, em seguida, proponha uma nova atividade, um alongamento conduzido por você, professor, com sequências de movimentos pré-determinadas e com ênfase nos membros inferiores – mais requisitados durante uma partida de futebol.

Depois do alongamento, sugira à turma uma atividade de transporte, que deverá ser realizada na quadra da escola ou em um espaço dedicado à prática esportiva. Os alunos são divididos em duas equipes, que ganham o mesmo número de bolas para começar o jogo dentro de seus respectivos gols (traves) – ou outra área delimitada, no caso de escolas sem quadra.

Divida a quadra em duas metades (risque com giz ou aproveite as demarcações do futebol ou do futsal) e recomende que cada equipe escolha um gol para iniciar a partida. O objetivo do jogo é transportar o maior número de bolas possível até o gol da equipe adversária.

Cada aluno só poderá levar uma bola por vez e a bola deverá ser conduzida com os pés, e não chutada para o gol. É permitido roubar a bola do adversário, desde que ele esteja fora da área. Terminado o tempo de jogo, vencerá a equipe que tiver o menor número de bolas dentro de seu gol. Podem ser feitas várias rodadas e contagem de pontos, dependendo do nível de interesse e envolvimento da turma.

Depois do alongamento e do treino de passe de bola, com a atividade de transporte, proponha à turma o jogo de futepar – uma partida de futebol em que os participantes jogam em duplas e de mãos dadas. Quaisquer lances do jogo - como gol ou desarme - que ocorrerem sem que os jogadores estejam de mãos dadas, não serão válidos. A infração será cobrada pela equipe adversária no local em que ocorrer. Se houver um desarme ilegal da equipe que já se encontra na área do adversário, isto será considerado pênalti, que será cobrado individualmente pelo jogador que foi desarmado de maneira irregular. Na sequência da cobrança, o jogador deverá novamente dar a mão ao seu companheiro. Somente os goleiros atuarão individualmente.

Outra variação possível da partida de futebol é o futebeisebol. A turma é dividida em duas equipes, uma de atacantes (de chutadores) e outra de defensores. Você pode organizar o campo, quadrado ou retangular, delimitado por garrafas plásticas, cones ou minicones posicionados dentro de um bambolê ou delimitar uma área com giz. A equipe defensora se distribui à vontade ocupando o campo de jogo e suas proximidades. Um atacante por vez fará um chute tentando derrubar um ou mais cones. Se conseguir, terá direito a um novo chute. Caso nenhum cone seja derrubado, o atacante dará sequência à jogada tentando derrubar os cones chutando-os, de forma que estes sejam derrubados dentro do bambolê ou do limite da área em que estão posicionados. Cada cone legalmente derrubado somará um ponto para a equipe atacante. O cone será legalmente derrubado quando for atingido pela bola ou quando for chutado e permanecer na área. O cone derrubado com chute será considerado ponto quando uma ínfima parte do cone permanecer, ao menos, sobre a linha da área. Haverá uma sequência de chutadores definida pela equipe atacante que deve ser respeitada.

Para defender, os alunos devem utilizar os membros inferiores ou a cabeça. Caso a defesa desvie ou afaste a bola do cone com um chute para o alto e a bola seja agarrada com as mãos por qualquer defensor, ou se um jogador defensor cabecear a bola em um chute alto do ataque e segurar a bola com as mãos, a equipe defensora passará ao ataque, e o posicionamento em campo será invertido. No caso de um chute rasteiro, a defesa poderá fazer o domínio da bola com os pés e, depois, pegá-la com as mãos para queimar o atacante que tenta derrubar os cones. Caso o atacante seja ‘queimado’, ele para sua ação e os pontos que fez são somados ao placar da equipe.

Depois da partida de futebeisebol, oriente os alunos em um alongamento final, que pode ser feito parte individualmente, parte em grupo, com os alunos sentados em roda.
Aproveite a oportunidade para uma conversa final sobre o futebol: que fundamentos e jogadas desse esporte os alunos aprenderam? Que situações de jogo precisam ser trabalhadas com mais ênfase em aulas seguintes?

Com base nas respostas, esclareça dúvidas que ainda restarem a respeito da modalidade e planeje novas atividades para as próximas aulas.

Avaliação
Observe a participação de todos os alunos durante as etapas de pesquisa, discussão em sala e nas atividades práticas propostas. Espera-se que, ao final da sequência, os alunos saibam mais sobre a origem e as regras do futebol, aprendam alguns fundamentos e jogadas da modalidade e aprimorem suas estratégias de jogo.

Consultoria Fabiana Pinheiro
Personal trainer e árbitra de basquete em São Paulo.

Comentários
 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais

Assine suas revistas impressas ou digitais!

Compre suas revistas impressas!

Compre suas revistas digitais e e-books!

Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.