Revista do mês
Nova Escola
Assine Nova Escola
publicidade

Professor, seja bem-vindo

No início do ano letivo, estabelecer uma rotina de colaboração e entrosamento é fundamental para adaptar e integrar tanto alunos como professores novos

Priscila Pastre

Página de > >|
=== PARTE 1 ====
No início do ano letivo, estabelecer uma rotina de colaboração e entrosamento é fundamental para adaptar e integrar tanto alunos como professores novos. Foto: João Marcos Rose / Agência Nitro
No início do ano letivo, estabelecer uma rotina de colaboração e entrosamento é fundamental para adaptar e integrar tanto alunos como professores novos

Mais sobre planejamento

Especiais

A cada ano que se inicia, novos grupos de professores e alunos se formam. Como recepcionar, integrar e aproveitar bem o potencial dessas pessoas? Os especialistas são unânimes: saber que pertencemos a um grupo, de verdade, é fundamental para garantir o comprometimento e o bom resultado do trabalho, tanto dos educadores como dos estudantes. Por isso, os primeiros dias devem ser cuidadosamente preparados pela direção e a coordenação para receber os novos integrantes.

Para muita gente, criar uma dinâmica divertida é a primeira idéia que vem à cabeça. Mas ela não é suficiente para garantir esse bom aproveitamento o ano todo. Não adianta enfeitar a escola se os funcionários não estiverem bem preparados para receber os estudantes, nem propor atividades de grupo sem avaliar anteriormente se alguém pode se constranger por ficar em evidência. O que vale mesmo é planejar situações que promovam o entrosamento e o desenvolvimento permanentes, não apenas no primeiro dia.

Poucas coisas são tão difíceis quanto se sentir um peixe fora d'água. Imagine o que significa o primeiro dia de aula para uma criança que acaba de chegar a uma escola nova e encontra velhos amigos se revendo e matando as saudades - e ela sem saber sequer onde é o banheiro. Para os adultos, a situação é igualmente delicada. Um professor novo encontra uma equipe estabelecida, com rotina própria e procedimentos que ele desconhece. O fato é que geralmente ele tem uma bagagem, uma experiência que precisa ser aproveitada pelo grupo.

O sociólogo suíço Philippe Perrenoud em seu livro A Prática Reflexiva no Ofício de Professor: Profissionalização e Razão Pedagógica, aponta competências básicas que ganham ainda mais relevância no início do ano: saber cooperar e trabalhar em rede, conceber a escola como uma comunidade educativa e aprender a se sentir um membro efetivo da equipe. Se você domina esses conceitos, já tem meio caminho andado para compreender as necessidades desse momento inicial e, assim, certamente vai ajudar a somar, em vez de dividir o grupo. "É na hora da passagem das turmas para o próximo professor que ficam evidentes esses conceitos", completa Marília Costa Dias, coordenadora pedagógica da Escola Projeto Vida, em São Paulo. Mais que entregar um relatório sobre o desempenho dos alunos, o ideal é conversar muito com o novo professor, apontando o desenvolvimento de cada criança, onde estão as dificuldades, qual o perfil da turma, quais foram os projetos desenvolvidos em anos anteriores.
Professor novo, nova equipe

 

Acompanhamento amigo: no colégio Renovação, em São Paulo, o aluno Caio (à esquerda) aprensenta a professora Katia Alcazar para o novato, Leonardo. Foto: Ricardo Benichio
Acompanhamento amigo: no colégio Renovação, em São Paulo, o aluno Caio (à esquerda) aprensenta a professora Katia Alcazar para o novato, Leonardo

"A postura aberta é imprescindível para que os novatos se sintam aceitos pessoal e profissionalmente", diz Raquel Volpato Serbino, professora de Pedagogia da Universidade Estadual Paulista e diretora da GAL Consultoria em Educação, em Botucatu, no interior de São Paulo. O ideal é que todos tenham a oportunidade de se apresentar aos outros e trocar experiências antes mesmo de as aulas começarem. Na EE Professor Magalhães Drummond, localizada num dos bairros mais violentos de Belo Horizonte, a postura aberta da comunidade escolar era pouco para receber os novos membros. "Por causa da fama negativa da escola, muitos professores chegavam com preconceito e medo", conta a coordenadora pedagógica Almerinda Alexandrina Damásio. No caso dos recém-chegados, a coordenadora fica atenta para os conceitos sobre coletividade, prática reflexiva, diversidade e superação dos limites - ou seja, atitudes, hábitos, métodos e posturas. As primeiras semanas do ano letivo são dedicadas a ampliar esses saberes.

 

=== PARTE 2 ====

Continue lendo a reportagem

Página de > >|

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA
e receba muito mais em sua casa todos os meses!

 

Publicado em NOVA ESCOLA Edição 199, 02/2007.
Comentários

 

Assine já a sua revista!
Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.