Revista do mês
Nova Escola
Assine Nova Escola

Estudar se aprende na escola

Tomar notas, relembrar dados e selecionar informações importantes são ferramentas úteis durante toda a vida escolar e devem ser ensinadas na sala da aula

Fernanda Salla

Página de > >|
Especial Planejamento 2015
=== PARTE 1 ====
Foto: Omar Paixão

O filme é sempre o mesmo: às vésperas das provas, muitos alunos começam a correr atrás do prejuízo para evitar que as notas afundem no vermelho. Munidos de livros e cadernos, precisam "rachar" de estudar, muitas vezes usando a decoreba como um método de estudo. Porém essa não é a melhor maneira de ativar o conteúdo visto ou aprender aquele que ficou malcompreendido. Há estratégias que ajudam não só na hora do aperto mas também durante todo o processo educacional. E, como esse não é um saber intuitivo, você deve trabalhá-lo em sala de aula. "Ensinar a estudar é oferecer à turma todos os recursos e as ferramentas disponíveis para que cada um possa se apropriar deles e, quando precisar, usar o que for mais adequado ao seu perfil ou ao conteúdo em questão", explica Cecília Leite, coordenadora da Escola Digital Integrada, da Universidade de Brasília (UnB).

Aprender procedimentos de estudo é tão importante quanto o conhecimento conceitual para o desenvolvimento cognitivo. "A escola deve capacitar crianças e jovens a construir e gerenciar o conhecimento. E um conceito central nesse modelo é o uso de meios e habilidades com os quais eles possam lidar com as exigências da vida escolar, social e profissional", afirma Charles Hadji, professor da Universidade Pierre Mendès-France, na França. Esse processo de construção da autonomia passa pela capacidade de eleger informações importantes, em um texto, em uma aula expositiva ou durante uma pesquisa, que, muitas vezes, é o ponto de partida para o estudo.

Existem formas de estudar ligadas à leitura, como fazer resenhas e comentários, e outras usadas em situações em que o foco não é um texto, como tomar notas de uma palestra. Na Matemática, além de fazer cálculos, os alunos devem elaborar registros para entender e recuperar o conteúdo visto. Os perfis de alunos também variam: há os que aprendem melhor ouvindo, os que preferem ler sozinhos e outros que se apoiam em esquemas visuais. Para atender a todos eles, é importante trabalhar múltiplas estratégias em sala de aula. "Dessa forma, o professor também possibilita que as crianças desenvolvam habilidades diversas, bastante necessárias dependendo da situação", diz Maria Márcia Sigrist Malavasi, coordenadora do curso de Pedagogia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

=== PARTE 2 ====

Continue lendo a reportagem

Página de > >|

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA
e receba muito mais em sua casa todos os meses!

 

Publicado em NOVA ESCOLA Edição 247, Novembro 2011.
Comentários

 

Assine já a sua revista!
Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.