Revistas do mês
Nova Escola
Gestão Escolar
publicidade

O que ensinar em Educação Física do 6º ao 9º ano

Cabe ao professor da disciplina lidar com as questões inerentes às transformações corporais dos adolescentes

Leonor Macedo

Página de > >|
=== PARTE 1 ====
Fotos: Marcos Rosa
Fotos: Marcos Rosa

O ensino da Educação Física vai além da recreação e da cobrança pelo rendimento no esporte. Os conteúdos da disciplina contemplam as produções de nossa cultura corporal: o jogo, o esporte, a dança, a ginástica e a luta (conheça as expectativas de aprendizagem). A disciplina deixou de lado a ênfase no rendimento padronizado que a caracterizava até a década de 1980 para rever o conceito de corpo e considerar a dimensão cultural simbólica a ele inerente. Agora, considera o homem eminentemente cultural, contínuo construtor da cultura relacionada aos aspectos corporais. "Os documentos curriculares trouxeram para a Educação Física o universo do conhecimento cultural. O aluno continua praticando o esporte, mas vai além: entende seus contextos e sua criação", diz Caio Martins Costa, do Instituto Esporte e Educação, de São Paulo.

Trabalhando com corpos em fase de transformação

No Ensino Fundamental II, em plena puberdade, os jovens se aproximam. Iniciam-se os primeiros namoros e é importante que o professor esteja preparado para responder a questões que podem surgir. É nessa fase que aparecem tanto a vontade de exibir-se como a vergonha de expor seu corpo e seu desempenho.

"A sexualidade é um dos principais dilemas de nossa sociedade", afirma Caio. "O ideal é que boa parte das atividades seja praticada em conjunto, mas nem todas precisam ser misturadas. Há o momento em que os meninos vão querer jogar apenas com os meninos e as meninas com as meninas. Esses momentos também são importantes, embora a prática em conjunto seja essencial."



Outro ponto que pode surgir é o da participação de alunos com necessidades especiais. "O sistema educativo e os programas de ensino devem ser planejados e aplicados tendo em vista as diferenças, constituindo assim uma pedagogia centralizada no aluno, capaz de atender a qualquer tipo de necessidade de aprendizagem", explica Ricardo Jacó de Oliveira, da Universidade Católica de Brasília. É papel do professor também localizar as competências corporais em que alguns alunos apresentam dificuldades e promover atividades para que eles possam progredir. Deve ainda ajudar os jovens a ganhar consciência da cultura do movimento - as diferentes formas de movimento do homem, desde as mais simples e naturais, como caminhar, correr e pular, até as mais complexas possibilidades, como a ioga, a capoeira, a dramatização, as danças, as ginásticas, as lutas, os esportes e assim por diante (leia uma proposta de plano plurianual para a área). Veja a seguir quatro situações didáticas fundamentais para pensar o ensino de Educação Física para os alunos do 6º ao 9º ano.

=== PARTE 2 ====
=== PARTE 3 ====
=== PARTE 4 ====
=== PARTE 5 ====

Continue lendo a reportagem

Página de > >|
Compartilhe

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA e receba muito mais em sua casa todos os meses!

 

Publicado em , Janeiro 2010. Título original: O corpo e a cultura
Comentários

 

 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais

Assine suas revistas impressas ou digitais!

Compre suas revistas digitais e e-books!

Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.