Assine Nova Escola
Revistas do mês
Nova Escola
Gestão Escolar
publicidade

Plano de Aula

A difícil sobrevivência dos animais em extinção

Planeta Sustentável

Conteúdo relacionado

Reportagem do Planeta Sustentável

Objetivos
Discutir sobre problemas ambientais e as mudanças de comportamento social necessárias para revertê-los

Introdução
O massacre de gorilas nas montanhas do Congo, focalizado na reportagem de VEJA, revela que, mesmo com projetos nos quais o turismo é usado como incentivo para a preservação de ambientes naturais, ainda é grande a fragilidade da proteção às espécies ameaçadas de extinção. As conseqüências do desaparecimento desses grupos e as alternativas para evitá-lo devem ser conhecidas por seus alunos e pela comunidade em que vivem.

Desenvolvimento
1ª aula - Discuta as principais causas apontadas por VEJA para o aumento do número de espécies ameaçadas de extinção. O debate deve contemplar:
• A ação de caçadores;
• O porquê da promoção da matança por madeireiros, carvoeiros e mineradores;
• O uso de estradas em florestas; e
• As conseqüências do desaparecimento de espécies, em especial no contexto da redução de biodiversidade (perda de informações biológicas, desestruturação de teias alimentares, questões éticas envolvidas etc.).

Distribua cópias do quadro "Na Lista Vermelha" (abaixo) e peça que os alunos, organizados em equipes, executem as atividades nele previstas. Pergunte quais são as informações mais confiáveis em termos de análise da situação dos grupos de vertebrados. Resposta: aquelas que se referem ao maior número de espécies avaliadas em relação às conhecidas.

Sugira que os times elaborem gráficos que representem os dados da tabela para os mamíferos, foco desta lição. 

MAMÍFEROS AMEAÇADOS
De cima para baixo, quatro espécies que podem desaparecer das matas e dos mares brasileiros: tatu-bola, mico-leão-de-cara-dourada, peixe-boi-marinho e ariranha. Os animais terrestres e o anfíbio ocupam a categoria "vulnerável", menos grave. Já o peixe-boi se encontra "criticamente em perigo", ou seja, enfrenta um risco extremamente alto de extinção na natureza

Foto: Henry Yu
Foto: Henry Yu
Foto: Mario Leite
Foto: Mario Leite
Foto: Seaworld San Diego Park / Divulgação
Foto: Seaworld San Diego Park / Divulgação
Foto: Milton Shirata
Foto: Milton Shirata

2ª aula - Mostre as figuras de animais reproduzidas acima. Todos esses bichos são encontrados no Brasil e pertencem a espécies em risco. Chame a atenção para as diferentes categorias de risco de extinção e explique de que modo são estabelecidos os critérios empregados nessa classificação:
• Criticamente em perigo - o táxon enfrenta um risco extremamente alto de extinção na natureza;
• Em perigo - o táxon enfrenta um risco muito alto de extinção na natureza; e
• Vulnerável - o táxon enfrenta um risco alto de extinção na natureza.

Esclareça que a expressão táxon designa uma unidade taxonômica empregada em sistemas de classificação. Assim, gêneros e espécies de animais constituem táxons.

Proponha uma pesquisa, nas tabelas do Ministério do Meio Ambiente, sobre outras espécies de mamíferos existentes no Brasil que estejam ameaçadas de desaparecer.

A discussão deve passar pela análise das categorias de perigo de extinção em termos de quantidade, relacionando quantas espécies aparecem em cada categoria. Oriente a tabulação desses dados. Eles serão utilizados na formulação de um texto para ser veiculado em murais ou em páginas de internet da escola. É importante fazer os adolescentes compreenderem que as mudanças de atitude, necessárias para reversão de quadros graves como o atual, passam pelo acesso à informação por parte da comunidade.

 

3ª aula - Apresente o conceito Hipso, cunhado por Edward Wilson em seu livro O Futuro da Vida. O autor acredita que as principais causas para a extinção das espécies atuais estão resumidas em:
• Hábitats destruídos;
• Invasões por espécies exóticas;
• Poluição ambiental;
• Superpopulação; e
• Opção pela caça indiscriminada.

Conte que os anfíbios ilustram bem os efeitos letais do Hipso. O principal fator de declínio dos anfíbios, desde 1980, é o H desse conceito. Outros fatores, porém, estão ligados direta ou indiretamente à destruição de hábitats. Entre eles temos a poluição atmosférica proveniente de regiões mais longínquas; a intensificação dos raios ultravioleta B por causa do aumento do buraco na camada de ozônio; a introdução de espécies vorazes em certas regiões (é o caso da rã-touro, que devora quaisquer anfíbios menores); a presença cada vez maior de poluentes químicos sensivelmente mutagênicos; e fungos, originários de outras regiões, que parasitam a pele dos anfíbios, asfixiando-os. Informe que, além disso, existe o perigo da depressão endogâmica. Em geral, a endogamia começa a prejudicar uma espécie quando o número de adultos férteis cai abaixo de quinhentos. Ela se torna grave quando são registrados menos de cinqüenta exemplares e pode ser fatal se o total é inferior a dez espécimes.

Mostre como o exemplo dos anfíbios orienta o exame das chances de sobrevivência dos mamíferos brasileiros. Uma possibilidade é a discussão sobre o crescente desmatamento da Amazônia, suas causas e as conseqüências da extinção da floresta para a biodiversidade. Também é interessante verificar em que medida o conceito Hipso se aplica às espécies focalizadas por VEJA.

4ª e 5ª aulas - De posse desses dados e com a ajuda do professor de Língua Portuguesa, estabeleça os passos para a elaboração de um texto informativo destinado à comunidade sobre as espécies ameaçadas de extinção. As atividades devem se estender por mais de uma aula a fim de que todas as etapas sejam cumpridas satisfatoriamente:
• Estruturação do texto, indicando o que será discutido em cada parte;
• O primeiro parágrafo deve resumir o problema e apontar que caminho o texto vai percorrer;
• A argumentação vai ocupar o corpo da dissertação;
• O parágrafo final terá de mostrar as conclusões a que a turma chegou acerca da situação das espécies brasileiras ameaçadas de extinção, particularmente as de mamíferos;
• Imagens pesquisadas na primeira aula ilustrarão o que foi discutido; e
• Podem ser incluídos a tabela deste roteiro e os gráficos construídos em sala de aula.

Realize pequenas avaliações ao término de cada etapa, levando em conta a participação nas tarefas coletivas. O resultado final do projeto pode ser divulgado inicialmente para as outras classes e, em seguida, com os devidos ajustes, para toda a comunidade escolar.

Quer saber mais?

BIBLIOGRAFIA
O Futuro da Vida - Um Estudo da Biosfera para a Proteção de Todas as Espécies, Inclusive a Humana, Edward Wilson, Ed. Campus, tel. (21) 3970-9300

INTERNET
• O site www.iucn.redlist.org traz a Lista Vermelha da The World Conservation Union (IUCN)
• Espécies brasileiras ameaçadas estão no endereço www.mma.gov.br/port/sbf/fauna/index.cfm 

Consultor José Manoel Martins
Professor de Biologia do Colégio Oswald de Andrade-Caravelas, de São Paulo

Compartilhe

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários
 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais

Assine suas revistas impressas ou digitais!

Compre suas revistas impressas!

Compre suas revistas digitais e e-books!

Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.