Assine Nova Escola
Revistas do mês
Nova Escola
Gestão Escolar
publicidade

Sequencia Didatica

A poesia e a prosa de Vinicius de Moraes

VEJA na Sala de Aula

Conteúdo relacionado

Este plano de aula está ligado à seguinte reportagem de VEJA:

A partir de alguns textos do "Poetinha" e reflexão sobre a importância e diversidade de suas obras, discuta com os alunos a hibridização entre gêneros literários, em especial crônica, prosa e poesia

Objetivos
Ao refletir sobre a importância do legado de Vinicius de Moraes para a cultura brasileira, aproveite para mostrar algumas obras do poeta, trabalhando a análise de textos em verso e prosa. A partir daí, discuta a hibridização entre gêneros literários.

Poetinha

Conteúdos
- Diferenciação entre estilos literários
- Análise de texto
- Biografia Vinicius de Moraes

Tempo estimado
Duas aulas 


Material necessário

- Computadores com acesso à internet ou cópias da matéria de VEJA, "O Outono do Grande Poetinha" (Edição 2261, 21 de março de 2012) 
- Livros de Vinicius de Moraes retirados na biblioteca da escola ou do bairro

Desenvolvimento 

1ª aula
VEJA desta semana traz uma reportagem sobre os últimos anos de vida de Vinicius de Moraes. Nela, Gesse Gessy - a sétima esposa do poeta - relata que a opção por uma produção mais popular foi ideia dele numa fase de revolta contra a velhice e de cansaço do meio intelectual carioca. Aproveite esta temática para apresentar algumas obras do vasto repertório literário do autor de "Orfeu da Conceição" (1954), peça teatral baseada no drama de Orfeu e Eurídice. 

Mostre à turma que, a exemplo do poeta-cronista-baiano Pedro Kilkerry (1885-1917), quando disse que há sentimentos que só cabem nas medidas de um verso, mas também existem os poetas que necessitam da prosa -, assim foi a vocação literária de Vinicius de Moraes. O "Poetinha", como era chamado carinhosamente entre amigos, parecia não se importar em estabelecer um estio único. Cultivou simultaneamente gêneros tradicionais e modernos provocando também a hibridização entre prosa e poesia.

Na sala de informática ou de aula, inicie a atividade questionando a turma se conhecem a obra de Vinicius de Moraes. O que já leram? Quais músicas já ouviram? Neste momento, apresente os livros do poeta que você conseguiu localizar na biblioteca da escola, do bairro ou mesmo em casa. Pergunte se algum dos alunos se interessaria em ler algumas dessas obras. 

Em seguida, apresente à turma a reportagem de VEJA: "O Outono do Grande Poetinha", de Marcelo Bortoloti. Procure esclarecer dúvidas surgidas durante a leitura do texto. Ressalte que a reportagem se baseia no futuro lançamento de uma biografia sobre Vinicius de Morais que está sendo escrita pela sétima esposa do poeta, a produtora cultural Gesse Gessy. Segundo ela, o Poetinha, que já andava cansado do Rio de Janeiro, quis, por conta própria, enveredar por uma produção mais popular em terras baianas. 

Aproveite a oportunidade e comente com a turma que a obra de Vinicius de Moraes não se prende a algum gênero específico, pois, como afirma Francisco Bosco em A Mulher Original: "Vinicius era capaz, como nenhum outro poeta, de escrever simultaneamente com traços românticos, simbolistas, parnasianos e modernos." Assim como outros grandes poetas brasileiros, ele também fez da prosa um exercício poético. E numa época na qual a hibridização entre gêneros literários se faz bastante presente, não há por que se espantar com o caráter prosaico de algumas poesias de Vinicius. 

Encerre a aula solicitando a leitura de dois textos metalinguísticos em prosa do poeta. Trata-se de duas crônicas com temáticas distintas: uma sobre poesia, a outra sobre a própria crônica. 

a) Sobre poesia
O poeta inicia relatando a difícil tarefa de definição de poesia. Estabelece analogia entre tijolos e palavras. Afirma que o material do poeta é a vida; a palavra seu instrumento. Diz que a função da poesia é responder ao mundo informe de sensações através de uma expressão verbal rítmica. E deve fazê-lo, sobretudo, de forma bela, simples e comunicativa. Termina dizendo que a vida é um fato cotidiano em razão de suas próprias contradições. 

b) O exercício da crônica
Aqui, o poeta-cronista começa dizendo que escrever crônica é uma arte ingrata. Ressalta a urgência dos editores pela entrega diária das crônicas. Explica que o cronista deve inspirar-se nos fatos corriqueiros do dia a dia. Relata que há estilos diferentes de cronistas: os apressados, os cautelosos, os tristes, os eufóricos etc. O poeta também fala da popularidade da crônica e finaliza dizendo que o verdadeiro cronista sempre cumpre com o prazo de entrega do texto, mesmo que esta siga só, de táxi, enquanto aguarda - suarenta - toda a redação. 

Dê um tempo para leitura e, com o auxílio do texto crítico de João Bosco, "A Mulher Original", comente com os alunos que o essencial para Vinicius de Moraes não se encontra na prosa ou verso, mas na vida com todo seu antagonismo. "A vida é um tecido mesclado ou alternativo de prosa e de poesia" afirmou Edgar Morin em Amor, Poesia, Sabedoria.

2ª aula
Divida a turma em cinco grupos e, em seguida, solicite a leitura dos textos listados abaixo, sendo que cada grupo será responsável pela leitura de apenas um dos textos sugeridos. 

1) Viagem à Sombra - Trata-se de uma poesia em forma de prosa, ou seja, é um legítimo poema em prosa. Gênero difundido pelos poetas simbolistas franceses, principalmente por Baudelaire, Mallarmé e Rimbaud. Mesmo sendo escrito em prosa, o poema em prosa conserva tanto características da poesia quanto da prosa. Daí encontrarmos neste texto de Vinicius traços típicos tanto da poesia, como da prosa: solilóquio, sinestesias, repetições, musicalidade, metáforas inusitadas ou a escrita sequencial em prosa são alguns exemplos disso.

2) Olhe Aqui, Mr. Buster - Este poema composto em versos livres é dedicado ao milionário americano Mr. Buster que não se conformava com a decisão do poeta em voltar para a América Latina sendo que este ainda gozava de permissão para permanecer nos E.U.A. por mais um ano. É um poema que tanto pela temática como por sua estrutura apresenta um emparelhamento com o texto em prosa, com uma crônica por exemplo. Possui um alto índice de ironia, alguns estrangeirismos e certo grau de intertextualidade.

3) Samba de Breque - É uma crônica/conto. Um texto composto por trechos em prosa e versos. Segundo o autor, trata-se uma história baseada em fatos reais vivenciados pelo tio do poeta. Apresenta uma temática triste, mas intercalada com a leveza dos versos de um samba de breque. O leitor parece se desconcertar diante dos contrastes entre alegria e tristesa provocados intencionalmente pelo poeta.

4) Cotidiano nº 2 - Esta é uma canção bastante conhecida gravada em 1972 com seu grande amigo Toquinho. Assim como foi o caso da parceria entre Vinicius de Moraes e Tom Jobim, que resultou na gravação de "Garota de Ipanema" entre outras composições de sucesso, a parceria entre Vinicius e Toquinho também foi muito profícua. Dela surgiram clássicos como "Tarde em Itapoã" e "Como dizia o poeta". "Cotidiano nº 2" relata os fatos ocorridos num dia comum na vida do poeta: suas leituras, bebedeiras, discussões banais sobre futebol, a simplicidade do seu café da manhã, a criminalidade diária etc. Por tudo isso, este poema-canção representa um exemplo típico de hibridismo literário entre crônica e poema, ou entre prosa e poesia.

5) Balada do Morto Vivo - Como o próprio nome indica, trata-se de uma poesia em verso. Segundo Salvatore D´Onofrio, em Forma e Sentido do Texto Literário, a balada resulta da "confluência dos três gêneros: o lírico, por ser expressão de sentimento; o narrativo, porque a balada, sendo uma canção-história, contém em seu bojo uma pequena fábula; o dramático, porque a substância factual não é contada nem por um narrador onisciente nem pelo eu poemático, mas é revelada pelo diálogo entre personagens". E isto é exatamente o que acontece com este poema de Vinicius. 

Após a leitura, peça para cada grupo comentar suas impressões sem deixar de recordar as considerações feitas na aula anterior. Questione onde estão as marcas da prosa e da poesia nos textos lidos. Pergunte à turma a quais gêneros estes textos pertencem. Há sinais de hibridização entre gêneros nestes textos? O título, o conteúdo e a forma dos textos podem ajudar nestas respostas? Por quê? 

Por fim, com a ajuda dos alunos, faça os apontamentos na lousa segundo as características de cada um dos cinco textos.

Avaliação
A avaliação desta proposta de aula deve levar em consideração tanto a participação e comprometimento dos alunos com o estudo, assim como o desempenho destes nas atividades solicitadas. 

Bibliografia
Antologia Poética, Vinicius de Moraes, Companhia das Letras - (11) 3707-3500
- Para Viver Um Grande Amor, Vinicius de Moraes, Companhia das Letras - (11) 3707-3500
- Forma e Sentido do Texto Literário, Salvatore D´Onofrio, Ática - (11) 3990-1775

Consultor Rodrigo Priante Ugá
Mestre em Literatura e Crítica Literária pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), coordenador pedagógico do Ceaesp (Centro Avançado de Estudos na Gestão Pública e Privada) e professor do Ensino Médio da Rede Pública do Estado de São Paulo

Compartilhe

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários
Compartilhe
 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais

Assine suas revistas impressas ou digitais!

Compre suas revistas impressas!

Compre suas revistas digitais e e-books!

Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.