Revistas do mês
Nova Escola
Gestão Escolar
publicidade

Plano de Aula

A Revolução Russa de 1917

VEJA na Sala de Aula

Aproveite o aniversário de 95 anos da revolução e explique o significado desses conflitos e como eles levaram a Rússia a se tornar o primeiro país socialista do planeta

revolucao russa

Objetivos
- Compreender os antecedentes da Revolução Russa
- Identificar a importância da ação popular e dos líderes partidários no processo revolucionário
- Relacionar efeitos da política externa czarista, que agravaram a crise social enfrentada pelo Império

Conteúdo
Revolução Russa

Anos

Ensino Médio

Tempo estimado
3 aulas

Flexibilização
Para deficiência intelectual

Para ampliação deste plano, sugere-se que seja feito, por meio de tópicos, um mapa cronológico dos eventos da revolução, bem como do pós-revolução. Pode-se também utilizar mapas territoriais mostrando as mudanças os efeitos das mudanças políticas na URSS. Por fim, sugere-se a exibição do filme Dr. Jivago que de modo mais leve retrata também questões da Revolução Russa.

Material necessário
- Filme "O Encouraçado Potemkin" (1925), do diretor Sergei Ensenstein

Desenvolvimento

1ª etapa - Introdução à Rússia czarista
Inicie a exposição do tema informando aos alunos que a Rússia é o país de maior extensão territorial do mundo, com 17 milhões de quilômetros quadrados, mas que chegou a ter 22 milhões de quilômetros quadrados antes da dissolução da União Soviética, em 1991.

Porém, antes de falar da Revolução Russa e da ascensão do Partido Comunista ao poder, é importante conhecer como era o país na virada do século 19 para o século 20. Politicamente, a Rússia era uma monarquia autocrática governada por um czar (imperador) que concentrava todos os poderes e que mantinha uma administração centralizada e burocratizada. Além disso, havia a união entre Estado e a Igreja Ortodoxa. O czar era chefe do Estado e seu poder era considerado sagrado.

A sociedade russa do começo do século 20 era majoritariamente constituída por camponeses explorados por uma nobreza latifundiária e a burguesia. Pode-se dizer que a organização social do Império Russo apresentava inúmeros elementos feudais, onde o Czar e sua família, os nobres russos e o clero ortodoxo detinham os privilégios e dominavam as terras. A servidão foi abolida somente em 1861, mas as condições de vida dos camponeses foi pouco alterada.

O desenvolvimento industrial russo iniciou-se no final do século 19, principalmente no governo do Czar Alexandre II, que foi possível apenas com o aumento de impostos e financiamento estrangeiro, principalmente para a exploração de petróleo e produção de aço.

Muitos trabalhadores foram então atraídos para as cidades, deixando o campo, mas, acabaram submetidos a baixos salários e jornadas de trabalho excessivas. Explique aos alunos que esses trabalhadores urbanos compunham a classe operária e que até o ano de 1905 eram proibidos de se organizarem em sindicatos.

No entanto, apesar da instalação de indústrias nas principais cidades russas, a economia ainda baseava-se na agricultura. E essa contradição criou na Rússia uma realidade sociopolítica tensa e contraditória. Nesse contexto, surgiu uma liderança política revolucionária, formada por novos intelectuais, portadora de uma cultura não religiosa e contrária às camadas aristocráticas.

2ª etapa - Os antecedentes da revolução
Explique à turma que, devido às péssimas condições de vida, muitos trabalhadores passaram a organizar manifestações, greves e passeatas, influenciados pelos ideais socialistas de Karl Marx e Friedrich Engels. Porém, o governo czarista reprimia violentamente esses movimentos e passou a perseguir os líderes dos partidos surgidos na virada do século 19 para o 20 que faziam oposição ao governo.

Dentre os partidos de oposição, destacou-se o Partido Operário Social-Democrata Russo (POSDR), afeito às propostas revolucionárias de caráter comunista. É importante ressaltar que a perseguição feita pela polícia do Czar desorganizou o partido e líderes como Lênin e Trotski tiveram que deixar a Rússia, passando a se organizarem no exterior.

Assim, durante um congresso realizado em Londres, Inglaterra, no ano de 1903, algumas divergências entre os líderes do partido levaram o POSDR a se dividir em duas linhas: os mencheviques (que significa minoria) que acreditam que o socialismo poderia ser alcançado pelas vias democráticas, através das disputas eleitorais e com o apoio gradativo do proletariado russo; e os bolcheviques (que significa maioria), que defendiam a derrubada imediata do czar e o início de vanguarda revolucionária.

3ª etapa - Atividade
Após a exposição do panorama da revolução, divida os alunos em dois grandes grupos, um representando os bolcheviques e outro representando os mencheviques. Em seguida, distribua cópias dos textos "Bolcheviques x Mencheviques" e o "Bolcheviques, mencheviques, Lênin e a Rússia pré-revolução".

Peça para que os grupos discutam entre si as ideias defendidas por cada ala do partido. Solicite aos alunos que escolham um líder da equipe para apresentar as principais ideias dos bolcheviques e dos mencheviques, de forma que seja possível perceber a ideologia do partido e as semelhanças e as diferenças entre as propostas dos dois grupos.

4ª etapa - Domingo sangrento
Informe aos alunos que, para agravar ainda mais a situação de descontentamento tanto no campo, como nas cidades, no ano de 1905 o Japão venceu a Rússia na disputa pela Manchúria, região que fica no nordeste da China.

Nesta ocasião, trabalhadores encaminharam uma petição ao czar em tom suplicante, haja vista que, após a derrota na Guerra Russo-Japonesa (1904-1905), a situação precária da população e das tropas envolvidas na guerra agravou-se. Então, a multidão se dirigiu pacífica ao palácio do monarca reivindicando melhores salários e redução da jornada de trabalho, no entanto, foi recebida à balas pela guarda do governo (os cossacos). Esse episódio ficou conhecido com o "Domingo Sangrento", onde centenas de trabalhadores foram mortos e outros milhares ficaram feridos.

Reproduza para os alunos cenas do filme "O Encouraçado Potemkin" (1925), do diretor Sergei Ensenstein. Exiba principalmente a clássica cena da escadaria de Odessa (0:49:00). Explique aos alunos que, depois desse ocorrido, a população reagiu imediatamente, protestando e fazendo greves por todo o país. Nesse contexto surgiram os sovietes, uma espécie de conselhos de trabalhadores, soldados e camponeses, liderados principalmente pelo bolchevique Lênin (Vladimir Ilich Ulianov).

Frente à pressão popular, o czar Nicolau II se viu sem saída e convocou uma Assembleia Constituinte conhecida como Duma, que prometeu realizar reformas e respeitar os direitos civis. Com isso o czar conseguiu manter-se no poder, e uma vez que conseguiu reequilibrar as suas forças, dissolveu a Duma passou a perseguir, prender e até mesmo a matar pessoas contrárias ao regime czarista. Dessa forma, o principal líder dos sovietes, Lênin, teve de exilar-se na Suíça.

5ª etapa -  O colapso da Rússia na Primeira Guerra e a guerra civil

Conte à turma que, com o início da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), a Rússia entrou no conflito ao lado da Tríplice Entente (Inglaterra, França, Rússia), lutando contra os países que compunham a Tríplice Aliança. As tropas russas enfrentaram, sobretudo, as tropas alemãs, cujo poderio militar era superior. À medida que o conflito se prolongava, o exército russo sofria derrotas, baixas e deserções, e a Rússia entrava em colapso: o aumento da pobreza e uma onda de fome em 1917 completou esse contexto de crise.

Exigindo respostas que nunca vinham ou que eram insuficientes, em fevereiro de 1917, foi desferido um golpe de Estado que derrubou o czar Nicolau II e colocou no seu lugar uma monarquia constitucional, liderada pelo militar russo Kerensky, representante dos mencheviques. Todavia, os bolcheviques exigiam a saída imediata da Rússia da Primeira Guerra Mundial, enquanto Kerensky pregava a necessidade do país ganhar a guerra para sair de cabeça erguida.

Nesse contexto, os sovietes, que haviam sido extintos em 1905, ressurgiram em 1917, liderados pelos representantes bolcheviques Lênin (Vladimir Ilich Ulianov) e Trotsky (Leon Davidovich Bronstein). Em outubro de 1917, os bolcheviques mobilizaram a população e derrubaram o governo de Kerensky sob o lema "paz, terra e pão" e "todo poder aos sovietes". Sob a liderança bolchevique de Lênin, a Rússia saiu do conflito mundial e assinou um acordo de paz com a Alemanha em 1918, o Tratado de Brest-Litovsky.

Informe aos alunos que à saída de Rússia da Primeira Guerra seguiu-se o começo de uma guerra civil em solo russo entre as pessoas que defendiam o regime czarista (Exército Branco) contra os sovietes (Exército Vermelho, liderado por Trotsky).

Neste contexto conflituoso onde a Rússia passava por profundas dificuldades, Lênin, agora na liderança do país, promulgou a NEP (Nova Política Econômica), que reintroduziu algumas práticas capitalistas para dinamizar a economia que estava sob total controle do governo bolchevique.

Apesar de basear-se nas teorias marxistas, sobretudo na ditadura do proletariado, o que se viu na prática foi a implementação de uma ditadura do Partido Bolchevique, agora chamado Partido Comunista Russo. Ainda sob a liderança de Lênin, a Rússia ganhou uma nova Constituição no ano de 1923 e passou a se chamar União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

6ª etapa - Stálin e os Planos Quinquenais

Informe aos alunos que no ano de 1924, com a morte de Lênin, Josef Stálin (secretário-geral do Partido Comunista) e Léon Trotsky passaram a disputar o poder na Rússia. Todavia, as divergências entre eles ficavam cada vez mais aparentes: enquanto Trotsky pregava que a Rússia só estaria segura quando o capitalismo fosse extinto em todo o planeta, e que, portanto, a Rússia deveria apoiar os partidos comunistas de todo o mundo, dando início a uma "revolução permanente"; Josef Stálin pregava que o comunismo deveria se consolidar primeiramente na Rússia, ou seja, "socialismo em só país", para depois se expandir. Os membros do Partido Comunista votaram na proposta defendida por Stálin que, vitorioso, passou a perseguir Trotsky e seus seguidores, obrigando-o a fugir da URSS.

Durante seu governo, Stálin implementou os chamados "Planos Quinquenais", empreendendo a coletivização das propriedades estatais e incentivando o desenvolvimento da indústria de base a partir do financiamento dos setores de educação e tecnologia. Contudo, Stálin consolidou o seu poder perseguindo e condenando seus opositores, obrigando-os a trabalhos forçados na Sibéria.

Stálin governou a URSS por 29 anos, de 1924 a 1953, quando faleceu. No seu governo a URSS transformou-se numa potência à custa do autoritarismo da ditadura stalinista e pela falta de liberdade. Contudo, no contexto da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), a participação da URSS ao lado dos países capitalistas como EUA, Inglaterra e França foi fundamental para a derrota da Alemanha nazista de Adolf Hitler. Todavia, as divergências entre comunistas e capitalistas não tardaram a reaparecer e dominar o período compreendido entre os anos de 1945 (fim da 2º Guerra) e 1991 (fim da URSS), conhecido como Guerra Fria.

7ª etapa - Atividade

De forma coletiva, com a ajuda dos alunos, construa um quadro comparativo apontando as principais características da Rússia czarista e pós-revolucionária. O objetivo é identificar as principais transformações ocorridas no país, no campo econômico, político e social. Feito isso, explique que durante a União Soviética, os símbolos que representavam a Rússia czarista, monárquica e religiosa, foram duramente reprimidos. Neste contexto, muitas das igrejas Ortodoxas russas foram destruídas e saqueadas.

Após a queda da URSS, em 1991, parte da sociedade russa tentou apagar as lembranças do passado soviético e recuperar a memória da Rússia tradicional, pré-revolução. Outra parcela da população, porém, lutou para valorizar o passado soviético russo. Frente a isso, solicite aos alunos que se organizem em duplas e indague-os sobre a importância da memória de um povo, refletindo sobre os diferentes sentimentos em relação ao passado.

Peça também que escrevam um texto dissertativo sobre o significado da Revolução Russa de 1917, destacando alguns elementos como: a participação popular no processo revolucionário; se a figura de seus líderes deve ser lembrada ou esquecida e  quais foram as consequências da transformação da URSS em uma potência Mundial.

Avaliação

Verifique se os alunos compreenderam os motivos que levaram ao processo revolucionário na Rússia, assim como, a importância da participação popular e da organização dos líderes partidários no processo que destituiu a monarquia czarista do poder e estabeleceu uma ditadura do Partido Comunista, relacionando estes acontecimentos ao contexto internacional da época.

Conteúdo relacionado

Este plano de aula está ligado à seguinte reportagem de VEJA:

Consultoria Leandro Pereira Matos
Mestrando em História na Universidade Federal de Juiz de Fora - Minas Gerais, professor da EM Antônio Carlos Fagundes

Compartilhe

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários
 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais

Assine suas revistas impressas ou digitais!

Compre suas revistas digitais e e-books!

Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.