Revistas do mês
Nova Escola
Gestão Escolar
publicidade

Sequência Didática

Como a Guerra Fria influenciou a política na América Latina?

VEJA na Sala de Aula

Conteúdo relacionado

Este plano de aula está ligado à seguinte reportagem de VEJA:

Analise com a turma as tensões políticas do período, a interferência do governo norte-americano nos regimes democráticos da região e a atuação de diversos atores sociais

Rua do centro histórico de Havana. Crédito: Wikimedia commons

Objetivos
- Estabelecer relações entre a Guerra Fria e os golpes militares na América Latina
- Analisar o processo histórico da formação das instituições políticas brasileiras
- Reconhecer que o processo histórico não decorre apenas da ação dos chamados grandes personagens

Conteúdo
- Movimentos sociais e políticos na América Latina e no Brasil nas décadas de 1950 e 1960
- Golpes militares no Brasil e na América Latina

Anos
Ensino Médio

Tempo Estimado
Quatro aulas

Materiais Necessários
- Mapa da político da América Latina
- Texto Golpe de Estado, disponível aqui
- Vídeo Operação Brother Sam, disponível aqui
- Vídeo Operação Condor, disponível aqui
- Vídeo Comissão da Verdade de SP analisa caso de vítimas da ditadura, disponível aqui
- Cópias da reportagem "A negação da política" (Veja, 11 de setembro de 2013, 2338)

 

Desenvolvimento
1ª Etapa
Inicie a aula questionando os alunos se eles sabem o que foi a Guerra Fria. Destaque que o conflito ideológico surgiu logo após o final da Segunda Guerra Mundial, polarizando o mundo entre capitalismo e socialismo em função de os dois principais vencedores do conflito serem os Estados Unidos e a União Soviética. Explique que este foi um período de paixões ideológicas extremadas. Ao adotar uma delas, um país definia seu posicionamento político no mundo. Assim, Estados Unidos e União Soviética mantinham uma constante disputa na tentativa de conquistar mais seguidores, formando ampla base de sustentação de seus referenciais ideológicos. Dentro deste contexto, a América Latina foi palco de intensa disputa entre os dois blocos, que apoiavam ou combatiam muitos movimentos políticos e sociais que desencadearam em golpes políticos e ditaduras militares. Para melhor visualização do espaço geográfico a ser trabalhado na aula, mostre aos alunos o mapa da América Latina e o utilize para acompanhar as explicações.

 

 

Modelo de sistema respiratório. Crédito: Robles/Pingado

2ª Etapa
Inicie esta etapa explicando que a região, como parte do que era chamado terceiro mundo, foi um dos principais focos de interesse durante a Guerra Fria. O primeiro movimento político e social a aumentar a tensão ideológica na América Latina foi a Revolução Cubana. Em função de sua proximidade geográfica, os Estados Unidos sempre fizeram o possível para manter sua predominância na região, temendo que militantes socialistas ganhassem espaço a ponto de ameaçar seu próprio território. A preocupação aumentou quando, em 1959, Fidel Castro chegou ao poder em Cuba através de um movimento insurgente de esquerda marcado pela participação do muito reconhecido militante socialista Che Guevara. Mostre no mapa a localização de Cuba. Os revolucionários cubanos derrubaram um governo que tinha o apoio dos Estados Unidos e criaram temor nos norte-americanos por conta da proximidade de uma regime socialista com seu território e a possibilidade de novas revoluções no continente. Este evento aumentou a tensão na América Latina, pois os Estados Unidos estavam decididos a não permitir que o caso cubano se repetisse em outro país da região. Logo, muitos golpes de estado seriam patrocinados pelo governo norte-americano para impedir qualquer ascensão do socialismo em países latinos. Neste momento, leia o texto Golpe de Estado com a turma para esclarecer o significado do conceito e abrir caminho para o estudo de casos na América Latina.

3ª Etapa
A chamada Revolução Cubana foi o primeiro movimento insurgente a chegar ao fim com triunfo na América Latina. Mas o país viveria sob muita turbulência política nos anos seguintes por causa das constantes tentativas dos Estados Unidos em derrubar o novo regime. Cuba, no entanto, conseguiu sustentar o novo governo devido ao apoio recebido da União Soviética, muito interessada em sustentar e ampliar um foco socialista no continente.

O Brasil não ficou de fora do conflito ideológico entre capitalismo e socialismo que pautava o mundo durante a Guerra Fria. Pelo tamanho do país, pode-se imaginar o temor do governo norte-americano de um alinhamento brasileiro ao regime soviético. Na década de 1960, o governo de João Goulart, que assumira a presidência após a renúncia de Jânio Quadros, representava grande preocupação para as forças antissocialistas. Jango, como era conhecido o presidente, demonstrava interesse em promover uma série de reformas no país - que ficaram conhecida como reformas de base, começando pela reforma agrária. Além disso, o presidente mantinha relações diplomáticas cordiais com Cuba e com a China, país que também havia se tornado socialista através de uma revolução. Nesse contexto, os Estados Unidos lançaram uma operação, chamada de Brother Sam, para fornecer auxílio logístico aos militares que planejavam um Golpe de Estado no Brasil. Para elucidar melhor essas questões, assista com a turma o vídeo Operação Brother Sam. Explique que o Golpe Militar de 1964 no Brasil foi o primeiro grande golpe militar na América Latina diretamente apoiado pelos Estados Unidos. Estabelecia-se, assim, um período de repressão e censura no Brasil, no qual qualquer suposta manifestação ou ameaça das ideias socialistas eram severamente sufocadas.

O próximo país a passar por turbulência política foi a Bolívia. Peça para os alunos mostrarem sua localização no mapa e explique que este país apresentava conduta alinhada ao capital internacional no decorrer da década de 1960, cedendo seus recursos aos interesses capitalistas internacionais. Descontentes, grupos guerrilheiros apoiados por Che Guevara, o mesmo da Revolução Cubana, se formaram nos Andes para enfrentar o presidente Renée Barrientos. A instabilidade política foi agravada com a morte de Che Guevara e do presidente boliviano. Quando o governo estava nas mãos do general Juan José Torres, em 1971, houve um Golpe de Estado, liderado por Hugo Suarez e se instalou um novo regime, que eliminou toda a oposição armada do país. Mais uma vez, os Estados Unidos deram todo o apoio militar e tecnológico.
Outro país a sofrer a ingerência do governo norte-americano foi o Chile, que com a eleição de Salvador Allende ameaçou os interesses capitalistas com a promessa de transformar o país em um regime socialista. Peça que os alunos indiquem sua localização no mapa e explique que o governo Allende foi turbulento, enfrentando muitas crises, refletidas em grande instabilidade política. Enquanto Allende tentava se manter como governante e promover a conversão do país ao socialismo, os Estados Unidos financiavam a oposição em operação semelhante a que aconteceu no Brasil. Neste momento, leia com a turma a reportagem "A Negação da Política" (Veja, 11 de setembro de 2013, 2338). Explique que Allende foi deposto por um golpe militar em 1973, que levou ao poder o general Augusto Pinochet. Começava assim mais uma sangrenta ditadura militar na América Latina, marcada pela forte repressão e censura.

Em 1976 foi a vez da Argentina sofrer um golpe militar. Mostre sua localização no mapa e explique que o país vivia sob forte instabilidade econômica e testemunhava, no campo político, embates entre guerrilheiros de esquerda e milícias da direita. O governo chileno de Augusto Pinochet deu amplo apoio aos militares argentinos, que também eram apoiados pelos Estados Unidos na luta contra o socialismo. Nesta época, organizou-se a Operação Condor, uma aliança político-militar entre os regimes militares ditatoriais na América do Sul para prover logística e conhecimento na busca, apreensão e tortura de militantes socialistas. Assista com a turma o vídeo Operação Condor para ilustrar o período. Explique que apesar de ter durado pouco tempo, a ditadura argentina foi a mais sanguinária da América Latina.

Avaliação
Peça  que a turma produza um texto sobre a ascenção de ditaduras na região, procurando avaliar as forças em disputa que levaram ao golpe e sua relação com o contexto da Guerra Fria. Observe se os alunos conseguiram perceber a correlaçnao de forças no período e como elas influenciaram nos acontecimentos políticos da região.

Para saber mais:

-Filme: No (Pablo Larraín, 2013).
-Filme: Diários de Motocicleta (Walter Salles, 2004).
-Filme: O Que É Isso, Companheiro? (Bruno Barreto, 1997).
-Filme: Zuzu Angel (Sérgio Rezende, 2006).
-Documentário Operação Condor - TV Brasil.
-HOBSBAW, Eric. A Era dos Extremos: o breve século XX (1914-1991). São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

 

 

Consultoria Antonio Gasparetto Júnior
Mestre em História pela Universidade Federal de Juiz de Fora

Compartilhe

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários
 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais

Assine suas revistas impressas ou digitais!

Compre suas revistas digitais e e-books!

Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.