Assine Nova Escola
Revistas do mês
Nova Escola
Gestão Escolar
publicidade

Plano de Aula

A mudança evolutiva humana

Planeta Sustentável

Conteúdo relacionado

Este plano de aula está ligado à seguinte reportagem de VEJA:

Objetivos
Descrever os fatores evolutivos de acordo com a teoria sintética da evolução baseados em exemplos da evolução humana. Conseguir interpretar padrões de variabilidade de acordo com a relevância da atuação de um ou mais fatores.

Conteúdos
Fatores evolutivos: mutação, seleção, migração e deriva gênica.

Tempo estimado
Duas aulas

Material necessário
Acesso a Internet

Desenvolvimento
Organize seu trabalho em duas aulas. A primeira deverá servir para identificar por meio da reportagem de VEJA alguns conceitos estruturantes acerca dos fatores evolutivos de acordo com a teoria sintética da Evolução. A segunda aula poderá colocar em prática uma atividade de pesquisa dos alunos.

1ª. Aula
Peça que a turma leia a reportagem "Unidos pelo futebol... e pelo DNA", publicada em VEJA. Procure identificar com os alunos aspectos relevantes da reportagem, estabelecendo relação entre eles e os fatores evolutivos. A ideia é trabalhar os fatores evolutivos, tais como mutação, seleção, deriva e migração. A reportagem oferece vários pontos nos quais esses conceitos podem ser trabalhados.

Inicie com algumas questões básicas. A população humana ainda evolui? A tendência do senso comum é dizer que não mais, pois a seleção natural não agiria com intensidade em tempos de grande desenvolvimento tecnológico. Mostre que essa seleção não é o único fator evolutivo a agir sobre uma população. Explique que a ela é um mecanismo que, privilegiando um indivíduo e seu genótipo, diminui a variabilidade ou, na melhor das hipóteses, a mantém. Explique que as mutações e recombinações gênicas podem gerar variabilidade. Sendo assim, as populações que não estão sujeitas à seleção natural continuam evoluindo por acumular variabilidade, ainda que de forma lenta. Pergunte à turma em que ponto essa explicação está relacionada à reportagem. Eles devem comentar a imensa variabilidade acumulada no continente africano.

Discuta com a turma a relevância do estudo molecular para identificar a variabilidade humana, citado na revista. Esclareça os alunos sobre o tipo de informação que diferentes fontes de material genético podem fornecer. O DNA mitocondrial, o cromossomo Y e os cromossomos autossômicos são fontes possíveis. Debata com os alunos o motivo pelo qual os dois primeiros têm sido mais utilizados. Conclua com eles que os autossomos estão sujeitos a processos de recombinação que dificultam a análise. Já os outros dois são heranças somente da mãe ou do pai, eliminando assim algumas variáveis. Isso facilita o estabelecimento da genealogia.

Conte à classe que o estudo de regiões variáveis destes materiais genéticos de ancestralidade materna (DNA mitocondrial) e ancestralidade paterna (cromossomo "Y") fornece o haplótipo do indivíduo - um perfil genético baseado em vários genes chamados de marcadores. A comparação de vários haplótipos humanos de diferentes regiões do mundo possibilitaram identificar diversos haplogrupos estabelecidos em determinadas regiões do mundo. Pergunte à moçada: como que esse tipo de técnica pode ajudar a entender a ancestralidade genética e geográfica de cada um de nós?

Levante mais uma questão. Como entender a atual diversidade humana distribuída no planeta? Quais seriam os fatores evolutivos relevantes para explicar a diversidade distribuída pelo planeta? Esclareça que mais de um fator pode agir ao mesmo tempo, entretanto em alguns casos destaca-se um ou outro fator. Lembre-os do trecho da reportagem que cita a evolução da pele branca como efeito da seleção natural. Discuta com a classe que fator pode ter beneficiado mutantes na pele branca em um período entre 40 mil e 6 mil anos atrás, quando essa mudança evolutiva teve efeito. Dê algumas dicas: dieta vegetariana, vitamina D, menor taxa de insolação. Faça a síntese com a classe.

Mostre a atuação de outros fatores como, por exemplo, a deriva gênica. Exiba um mapa da distribuição das porcentagens de populações humanas que apresentam o sangue do tipo "O". Pergunte à moçada como explicar que, na América do Sul, a população nativa apresenta uma clara predominância do sangue tipo O? A melhor explicação é que se trata do chamado efeito do fundador, um tipo de deriva gênica. Toda a população ao sul foi fundada por um pequeno grupo que, por uma questão aleatória, era composto por de indivíduos com sangue do tipo "O".

Figura 1: Distribuição geográfica das populações de sangue tipo "O"

Figura 1: Distribuição geográfica das populações de sangue tipo
Distribuição geográfica das populações de sangue tipo "O"

 

 

 

 

 

 

 

 

Finalmente o caso das migrações ou fluxo gênico, como também é chamada. Mostre à classe a figura abaixo. Ela mostra um mapa da região australiana, exibindo a distribuição geográfica dos indivíduos nativos que apresentam cabelos castanho-claros. Peça que os alunos interpretem a figura. A variação é clinal, suave, mostrando que o deslocamento das populações nativas não é muito grande.

Figura 2: Distribuição geográfica dos indivíduos nativos que apresentam cabelo castanho claro

Distribuição geográfica dos indivíduos nativos que apresentam cabelo castanho claro
Distribuição geográfica dos indivíduos nativos que apresentam cabelo castanho claro

 

 

 

 

 

 

 

 

2ª aula
Divida a classe em grupos e proponha um trabalho sobre evolução humana e os fatores evolutivos. Cada grupo deverá trabalhar com um fator evolutivo: mutação, seleção, migração e deriva. Proponha que pesquisem casos em que o tipo de seleção escolhido é relevante para explicar as características daquela população. Um exemplo: o grupo de deriva gênica pode trazer o exemplo de uma população com alta incidência de albinos. O de seleção pode descrever a questão do alto índice de indivíduos louros ou ruivos em determinadas regiões como efeito da seleção sexual. Cada grupo deve encontrar um caso que ilustre seu tema e, em seguida, descrevê-lo aos colegas. É importante esclarecer que dificilmente um fator evolutivo atua de forma isolada. Na realidade mais de um fator está relacionado ao processo evolutivo. Assim os alunos deverão ressaltar um ou dois fatores que consideraram relevantes na explicação de uma determinada situação.

Avaliação
A avaliação deve ser feita por meio do seminário. A avaliação deve recair sobre a profundidade da pesquisa, a qualidade da apresentação e o domínio sobre o conteúdo apresentado.

 

Consultoria Ricardo Paiva
professor de Biologia do Colégio Santa Cruz, em São Paulo

Compartilhe

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários
 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais

Assine suas revistas impressas ou digitais!

Compre suas revistas impressas!

Compre suas revistas digitais e e-books!

Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.