Assine Nova Escola
Revistas do mês
Nova Escola
Gestão Escolar
publicidade

Plano de Aula

Nas conquistas olímpicas, uma aula sobre o corpo humano

Planeta Sustentável

Objetivos 
Entender a fisiologia do exercício físico e suas relações com a saúde

Introdução 
Um verdadeiro laboratório da saúde humana. Essa é uma nova visão a respeito das Olimpíadas, enriquecida pelo ensaio fotográfico que acompanha a reportagem de VEJA. O mundo já está ligado nas competições, principalmente os jovens. Assim, não se surpreenda se, ao entrar em sala, alguém já estiver por dentro do assunto. Ao contrário, prepare já esta aula sobre o tema, que ficará ainda melhor se contar com a participação de professores de outras disciplinas.

Algumas atividades aqui propostas envolvem exercícios e conceitos em cuja aplicação o professor de Educação Física pode ajudar bastante. Será interessante dispor de um medidor de freqüência cardíaca para que os alunos meçam os próprios batimentos. Providencie também cópias dos quadros desta página para distribuir na classe.

Atividades
1. Esquente a turma com algumas perguntas. Que benefícios eles acham que os esportes olímpicos e as atividades físicas controladas podem proporcionar ao ser humano? Essas práticas melhoram a aparência das pessoas? Permitem o preparo de atletas? Ou será que alguns dos males de que o homem padece há tantos anos não podem ser minimizados mediante alguns exercícios? Quanto da medicina esportiva ¬ ciência utilizada por muito tempo somente para esportistas ¬ pode ser aproveitada para sanar problemas de saúde que acometem os não esportistas, ou os "dedicados" atletas de fim de semana?

2. Após a leitura da reportagem em sala de aula, peça que os alunos confrontem suas idéias com as do texto de VEJA. Distribua as cópias dos quadros e, em seguida, avalie o aproveitamento da turma levantando as seguintes questões:

 

  • De que forma os sistemas de nosso organismo são alterados por uma atividade física programada, como a prática regular de exercícios?
  •  Por que as tensões são aliviadas após uma atividade física?
  •  Quais os efeitos dos anabolizantes no homem e na mulher?

3. Divida a classe em pequenos grupos e proponha que cada um elabore questionários para realizar entrevistas com instrutores de academias de musculação. Dê algumas dicas de perguntas:

  •  Quais as idades mínima e máxima recomendadas por esses profissionais para o início de atividades físicas programadas? Por quê?
  •  O freqüentador em potencial é submetido a algum tipo de avaliação médica antes de iniciar o programa? Em caso afirmativo, que exames são aplicados e por que razão?
  •  Que justificativas as pessoas apresentam ao procurar as academias?
  •  Há praticantes que usam anabolizantes? Qual a porcentagem de homens e mulheres nessa prática?

Após a realização das pesquisas, os alunos podem tabular os dados e compará-los. Com os resultados, eles terão alguns elementos para avaliar os serviços prestados nessa área.

4. Proponha que os alunos, orientados pelo professor de Educação Física, façam a medida de suas pulsações em três situações distintas: em repouso, caminhando aceleradamente durante 5 minutos e correndo. Antes, convém que eles calculem a freqüência cardíaca máxima de cada um (a reportagem ensina como fazer isso). Em repouso, o coração bate de 60 a 80 vezes por minuto e nesse tempo bombeia cerca de 6 litros de sangue, ou seja, praticamente o total do organismo. Em passo acelerado, a pulsação sobe para 100 a 120 batimentos por minuto, bombeando cerca de 7 a 8 litros de sangue nesse intervalo. Se a corrida for em ritmo forçado, a freqüência cardíaca pode chegar a 200 pulsações por minuto e, nessa condição, o fluxo sanguíneo sobe para 30 litros por minuto.

Mostre esses dados para eles e chame a atenção para a relação entre fluxo sanguíneo e batimentos cardíacos: ela não é linear e isso dará uma idéia de como é importante manter os caminhos desimpedidos para toda essa quantidade de sangue.

A turma pode medir a pulsação cardíaca colocando os dedos médio e indicador sobre a carótida, no pescoço, ou sobre a artéria braquial, no pulso.

A Medicina do exercício

O estudo das relações entre os exercícios físicos e as doenças humanas. É disso que trata a medicina do exercício, uma área do conhecimento que interessa às diversas especialidades médicas, além da Educação Física e da fisioterapia.
Na área da profilaxia de doenças, numerosos estudos apontam os benefícios da atividade física para a saúde. Ela diminui o stress emocional, altera favoravelmente a fórmula sangüínea, reduz a gordura corporal, aumenta a massa muscular e a densidade óssea, ativa o metabolismo dos nutrientes, modula o sistema imunológico e proporciona aptidão física para uma boa qualidade de vida. Algumas questões, no entanto, ainda não foram respondidas. Não se sabe, por exemplo, qual o volume e a intensidade de atividade física suficientes para desencadear os efeitos benéficos para a saúde. Sabe-se apenas que, quando excessivos, são prejudiciais.

Quer saber mais?

FILMOGRAFIA
Fisiologia Humana, Guyton, Ed. Guanabara-Koogan, tel.: (21) 3970-9450 

Consultoria Miguel Castilho Júnior
Professor de Biologia da Escola Lourenço Castanho, de São Paulo

Compartilhe

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários
 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais

Assine suas revistas impressas ou digitais!

Compre suas revistas impressas!

Compre suas revistas digitais e e-books!

Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.