Revistas do mês
Nova Escola
Gestão Escolar
publicidade

Plano de Aula

Apresente a Renascença de Rafael, Leonardo e Michelangelo

Planeta Sustentável

Objetivos
Analisar os elementos formais, de composição e temáticos de obras renascentistas

Conteúdo relacionado

Reportagem da Veja:

Introdução
Certas obras-primas têm o dom de despertar polêmicas, mesmo depois de decorrido meio milênio de sua criação. É o caso de duas telas de Rafael Sanzio. A reportagem focaliza uma abrangente exposição sobre os trabalhos do pintor, realizada na National Gallery de Londres. Além disso, o texto de VEJA informa que o quadro Madona Rosa, recente aquisição dessa galeria, tem sua autenticidade contestada por especialistas. Algo semelhante aconteceu com a Ressurreição de Cristo, óleo comprado pelo Museu de Arte de São Paulo (Masp) nos anos 1950.

Hoje, a presença do traço de Rafael na peça do museu paulistano não é mais questionada. Será que isso vai se repetir no caso da Madona Rosa? Enquanto os historiadores da arte discutem, apresente aos alunos o ambiente estimulante em que conviveram Rafael, Leonardo da Vinci e Michelangelo - a Santíssima Trindade do Renascimento. Pergunte aos adolescentes: como garantir a autenticidade da autoria de uma obra de arte secular?

Lembre que o texto de VEJA sugere algumas respostas, como os exames de raios X e a existência de estudos para a obra examinada. No entanto, um bom olhar, aliado a conhecimento e intuição, colaboram muito na investigação. Um dos mais expressivos produtos dessa combinação resultou na aquisição corajosa, na década de 1950, de uma pintura para a nascente coleção do Masp: Ressurreição de Cristo, atribuída a Rafael Sanzio. O quadro foi comprado por Assis Chateaubriand, dono de um império jornalístico, e pelo curador Pietro Maria Bardi, responsável pela constituição do mais importante núcleo de arte européia existente no Brasil e em toda a América Latina. Conte que por duas vezes, e em duas das mais respeitáveis instituições museológicas londrinas - a Tate Gallery, nos anos 1950, e a National Gallery, em 2004 -, a obra teve a confirmação de sua autoria, depois de suscitar a atenção e a perplexidade de inúmeros especialistas internacionais.

Proponha um tema para debate: a intuição ainda pode ser critério para montar uma coleção de arte ou os "tempos heróicos" de Bardi e Chateaubriand não mais se repetirão?

Atividades
Chame a atenção da turma para a linha do tempo abaixo. Além de mostrar a contemporaneidade de algumas obras de Rafael, Leonardo e Michelangelo, ela assinala alguns acontecimentos do período, tais como a chegada dos portugueses ao Brasil e a ruptura religiosa de Martinho Lutero, que se tornou conhecida como Reforma protestante.

Proponha que novos eventos sejam acrescentados à linha, com base em pesquisas sobre esse período dinâmico e criativo. Por exemplo, Rafael pintou, por encomenda do papa Júlio II, um grande conjunto de afrescos para os apartamentos do pontífice. Entre eles, está Escola de Atenas, afresco criado entre 1509 e 1510. A atividade de Rafael, que se estendeu por 12 anos, foi contemporânea da criação dos afrescos para a Capela Sistina por Michelangelo.

Encomende um estudo sobre várias técnicas utilizadas pelos pintores do Renascimento. Sugira que os alunos examinem, por exemplo, a elaboração da Escola de Atenas, cujos desenhos preparatórios se encontram atualmente na Pinacoteca Ambrosiana, de Milão. Conte que Rafael fez os desenhos sobre um cartão do mesmo tamanho do afresco. Mais tarde, as imagens foram transferidas para a parede por meio de pequenos furos feitos nos contornos das figuras. Usava-se para isso um chumaço de algodão - ou equivalente - com pó de carvão. Dessa forma, o desenho era transferido e depois a pintura feita a fresco, isto é, enquanto o reboco da parede ainda estava úmido para receber a tinta. A pintura era produzia por etapas. Quando se olha a parede, nota-se perfeitamente cada estágio de seu desenvolvimento.

Pergunte aos alunos que aspectos chamam a atenção na obra Ressurreição de Cristo, reproduzida na reportagem de VEJA. Anote as respostas no quadro. A seguir, ensine que é importante analisar, numa pintura, os elementos formais compositivos e temáticos. Por exemplo, no quadro do Masp, pode-se enfatizar a organização matemática do espaço. Aponte as formas geométricas subjacentes:
• o grande triângulo, em que um dos vértices está na cabeça do Cristo, e os outros dois nos soldados caídos;
• a grande oval que insere a figura do Cristo levitando;
• o retângulo que se forma virtualmente, unindo os quatro soldados, quase uma projeção da própria urna de Jesus Cristo.

A localização dos personagens: nosso olhar passeia da esquerda para a direita, de um soldado a outro, e vai adentrando a pintura, quase sinuosamente, até encontrarmos a Virgem e o caminho tortuoso que se perde na paisagem. Ele mostra o Sol, a luz nascente... a vida ressurgindo.

Selecione para os adolescentes um conjunto de temas suscitados pela reportagem de VEJA. Alguns exemplos, entre outros: O que é o Masp? O que é a National Gallery? O que foi o Renascimento? O que vemos na obra Ressurreição de Cristo?
Divida a turma em grupos e encarregue cada um de aprofundar a pesquisa sobre um dos temas selecionados, com base em livros, consultas na internet etc. Os resultados serão apresentados sob a forma de seminários para a classe.

O mundo de Rafael

1500 - Início de carreira
O primeiro trabalho conhecido de Rafael foi realizado em maio de 1500, quando o rapaz era discípulo de Perugino. Poucos dias antes, a frota de Cabral havia chegado ao Brasil

1504 - Florença, capital do Renascimento
Em 1504, Rafael fixou-se em Florença. Na ocasião, Michelangelo terminava sua magnífica estátua Davi e Leonardo da Vinci trabalhava na Mona Lisa, pintada entre 1503 e 1506

1519 - O fim de um ciclo
Em 1519, o alemão Martinho Lutero desafiou a autoridade do papa, dando início à Reforma protestante. No mesmo ano morreu, Da Vinci. No ano seguinte, foi a vez de Rafael

 

 

Veja também:

Internet
O site do Museu de Arte de São Paulo - Masp, www.masp.uol.com.br pode ajudar a colocar a obra Ressurreição de Cristo no contexto das coleções da instituição
O site www.ambrosiana.it/ita/storia9.htm, da Pinacoteca Ambrosiana, de Milão, permite visualizar os desenhos preparatórios do afresco Escola de Atenas
O site www.ashmol.ox.ac.uk, do Ashmolean Museum de Oxford, na Inglaterra, dá acesso a dois desenhos de Rafael, considerados preparatórios para a pintura do MASP.

 

Consultoria Paulo Portella Filho
Coordenador do Serviço Educativo do MASP, de São Paulo

Compartilhe

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários
 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais

Assine suas revistas impressas ou digitais!

Compre suas revistas digitais e e-books!

Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.