Revistas do mês
Nova Escola
Gestão Escolar
publicidade

Plano de Aula

Alice e a literatura fantástica inglesa

Planeta Sustentável

Conteúdo relacionado

Este plano de aula está ligado à seguinte reportagem de VEJA:

Objetivos
Perceber como os livros de Lewis Carroll somam influências da literatura fantástica inglesa; relacionar aspectos da vida de Alice ao cotidiano dos alunos

Conteúdos
Literatura infantil e literatura fantástica

Tempo estimado
Duas aulas

Material necessário
Exemplares do livro As Aventuras de Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll.

Introdução

VEJA desta semana traz uma resenha do filme Alice no País das Maravilhas, no qual o diretor Tim Burton traz para a telona todo o nonsense da obra-prima de Lewis Carroll. Segundo o texto, a produção cinematográfica teve um êxito apenas parcial e pode ser entendida como uma obra "ao mesmo tempo feérica e tímida", que reproduz toda a extravagância do original apenas "na superfície iridescente, jamais no espírito".

Sem dúvida, essa avaliação sóbria não impedirá que multidões assistam, no cinema, às aventuras de Alice com o Chapeleiro Maluco, a Rainha de Copas e outros personagens imortais. O texto é um excelente ponto de partida para conduzir seus alunos ao universo fantástico criado pela imaginação de Lewis Carroll.

Atividades

1ª aula
Divida a turma em grupos e distribua exemplares do livro As Aventuras de Alice no País das Maravilhas (1865), de Lewis Carroll. Pergunte aos alunos se eles conhecem a história e peça que relatem as passagens que têm na memória.

Em seguida, proponha que a moçada leia a reportagem No subterrâneo da fantasia, publicada em VEJA. Explique à classe que a obra de Lewis Carroll se insere na longa tradição britânica da literatura fantástica e satírica. Comente que o mundo da fantasia não é exclusividade de Alice.

Um bom exemplo é o livro As Viagens de Gulliver, publicado em 1726 pelo irlandês Jonathan Swift. Pergunte quem conhece a história e faça um pequeno resumo, contando que, em suas viagens, o personagem principal encontra os minúsculos liliputianos e, depois, chega à ilha dos gigantes. Questione a turma sobre a relação entre as mudanças de tamanho de Alice - que, segundo a resenha de VEJA, "estica ao comer um biscoito, e então encolhe ao provar uma beberagem" - e os povos visitados pelo personagem de Jonathan Swift. Será que um livro inspira o outro?

Para deixar mais clara essa relação entre obras literárias, lembre os alunos de uma série de livros bem mais recente, que deve fazer parte do repertório da turma: Harry Potter, da britânica J. K. Rowling. Em um dos episódios, o bruxinho Hogwarts escreve uma carta ao personagem principal, fazendo referência ao armário onde estava preso. A situação lembra bastante uma passagem da história de Alice, em que a protagonista, depois de "esticar como uma luneta", conclui que não terá como calçar meias e sapatos e será forçada a enviá-los pelo correio para seus pés. Ela imagina o endereço: "Ilmo. Sr. Pé direito da Alice/ Tapetinho junto ao degrau/ Junto da lareira/ (da Alice com amor)".

Conclua com a turma que a literatura fantástica em língua inglesa tem uma trajetória que passa por Jonathan Swift, floresce com Lewis Carroll e continua forte na atualidade.

2ª aula
Na segunda aula, sugira a discussão de dois aspectos principais, que fazem das aventuras de Alice bem mais que um livro infantil: os jogos de lógica e as questões envolvendo a linguagem e o sentido das palavras; o problema da identidade pessoal.

Comece pela discussão dos jogos lógicos e o uso das palavras, e proponha que a turma analise o diálogo abaixo entre Alice e o Gato de Cheshire.

A menina pergunta ao gato:
Você poderia me dizer, por favor, qual o caminho para sair daqui?"
"Depende muito de onde você quer chegar", diz o Gato.
"Não me importa muito onde..." vai dizendo Alice.
"Nesse caso não faz diferença por qual caminho você vá", diz o Gato.
"...desde que eu chegue a algum lugar", acrescenta Alice, explicando.
"Oh, esteja certa de que isso ocorrerá", fala o Gato, "desde que você caminhe o bastante."

Peça que os alunos observem a passagem e tentem explicar a lógica por trás da conversa. Em seguida, apresente à moçada o diálogo entre Alice e a Duquesa:

"...e a moral disso é... ‘Seja aquilo que você pareceria ser’, ou então, dizendo de um modo mais simples, ‘Nunca imagine que não ser diferente daquilo que pode parecer aos outros que você fosse ou pudesse ter sido não seja diferente daquilo que tendo sido
poderia ter parecido a eles ser diferente.’"
"Acho que eu compreenderia melhor", diz Alice muito educadamente, "se pudesse ver tudo isso escrito; não consigo acompanhar muito bem o que a senhora diz."
"Isso não é nada diante do que eu poderia dizer, se quisesse", responde a Duquesa, em tom satisfeito.

Encarregue os jovens de discutir a afirmação da Duquesa. Ela faz sentido? Conclua a análise com a moçada, mostrando a importância do jogo com as palavras e da capacidade de argumentação para que os diálogos tenham sentido e emissor e receptor consigam se entender.

Para finalizar, relacione os questionamentos de Alice com o cotidiano dos alunos. Relembre a classe que, logo no início do livro, o autor informa a protagonista que adorava fingir que era duas pessoas. Mais adiante, ela começa a questionar a própria identidade, devido às sucessivas mudanças de tamanho, e passa a pensar em todas as meninas de sua idade, "para ver se teria se transformado em algumas delas".

Essa questão é uma das preocupações centrais do universo infantil e adolescente. Como explica a reportagem de VEJA, poucos escritores compreenderam tão profundamente quanto Lewis Carroll a inadequação que as crianças sentem diante das mudanças do corpo e das regras implacáveis dos adultos. Coloque em discussão com a classe as maneiras que os adolescentes encontram para construir sua identidade, entre as quais a absorção dos valores e do estilo de vida da turma de amigos.

Avaliação
Observe as repostas da turma ao longo das duas aulas para certificar-se de que eles entenderam a relação entre as diferentes obras literárias inglesas. Preste atenção, também, se os alunos conseguem relacionar a história de Alice aos questionamentos deles no dia a dia.

Quer saber mais?

Bibliografia
Aventuras de Alice no País das Maravilhas, Lewis Carroll, Jorge Zahar, tel. (21) 2108-0808
Alice no País do Espelho, Lewis Carroll, L&PM Pocket, tel. (51) 3225-5777

Internet
Texto integral de As Aventuras de Alice no País das Maravilhas

 

Consultoria Carlos Eduardo Matos
jornalista e editor de livros didáticos e paradidáticos

Compartilhe

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários
 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais

Assine suas revistas impressas ou digitais!

Compre suas revistas digitais e e-books!

Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.