Revistas do mês
Nova Escola
Gestão Escolar
publicidade

Terrário para observar o ciclo da água

Com ele, crianças e jovens compreendem melhor esse fenômeno da natureza

Uma camada de pedrinhas para aquário, outra de carvão vegetal e mais uma de terra adubada. Firmes no último andar, algumas mudas de plantas. Eis uma versão de terrário, recurso ótimo para observar o funcionamento da natureza. No caso, a idéia é reproduzir o meio ambiente vegetal para checar o ciclo completo da água. Quando a temperatura sobe, a água utilizada na rega, que ainda está na terra, evapora e se junta à da transpiração das plantas, formando uma concentração de vapor. Como o recipiente está totalmente vedado, esse vapor se condensa e forma pequenas gotas que ficam nas paredes e no lacre. É aí que ela retorna para irrigar o solo novamente. 

O experimento é também um bom meio para explicar como funciona a camada de ozônio. Aqui, quem exerce a tarefa é a tampa do recipiente. "Sem ela, o vapor se perde no espaço e não há a oportunidade de molhar a terra para que o ciclo recomece", justifica Walter Dohme, ludoeducador em meio ambiente, de São Paulo. 

Prático e versátil, o terrário permite outras pesquisas. A bióloga Vanessa de Aquino Cardoso, de São Paulo, por exemplo, lança mão dele para demonstrar acontecimentos biológicos. "É possível acompanhar a germinação de diferentes sementes ou ver como pequenos animais, como as joaninhas e os grilos, se comportam nesse espaço." 

Essa é uma atividade de Ciências indicada para turmas de Educação Infantil e de Ensino Fundamental. De acordo com Walter, a vida útil do terrário pode chegar a um ano ou mais, se tomado um cuidado básico: ele só deve ser aberto a cada uma ou duas semanas para que as plantas recebam um pouco de brisa. "Se elas crescerem muito no período, podem ser aparadas", autoriza o ludoeducador.

Material necessário

- 1 vidro de boca larga
- 1 xícara de pedrinhas para aquário
- 1 xícara de carvão vegetal
- De 3 a 4 xícaras de terra adubada organicamente
- 2 ou 3 mudas de plantas diferentes
- Pá e rastelo 
- Elástico
- Pedaço de plástico grosso maior que o tamanho da boca do vidro
- 1 xícara de água filtrada

 

Como fazer

1 MONTE AS CAMADAS Dentro do vidro, coloque primeiro as pedrinhas, depois o carvão e, por último, a terra. Aplaine cada camada com o rastelo. As três representam de maneira simplificada as condições ideais do solo. A de terra serve para nutrir o vegetal e as de pedregulho e de carvão têm a função de drenar a água. Com a pá, abra buracos na última camada e plante as mudas.

2 REGUE E FECHE Molhe cuidadosamente a terra, cubra o vidro com o plástico e vede bem com o elástico. O terrário tem de receber luz, porém não deve ficar exposto diretamente ao sol.

3 ACOMPANHE O FENÔMENO Lacrado o vidro, começa o ciclo: a água penetra na planta pela raiz e é liberada por meio das folhas pela evaporação. Esse ambiente não dá conta de absorver o vapor que fica nas paredes e no teto do vidro. Quando a umidade chega ao ponto de saturação, ocorre uma espécie de chuva que devolve a água ao solo.

4 VERSÃO RECICLADA O terrário também pode ser feito em outros tipos de vidro, como os de aquário ou os reutilizáveis. Uma outra opção é usar garrafas PET vazias. Pegue duas de água, porque são transparentes, corte uma em cerca de 3/4 de seu corpo e a outra em 1/4. Utilize a maior para fazer a montagem. Tampe com a menor de modo que ela fique por dentro da que serve como base. Vede com fita crepe.

 

Quer saber mais?

Ensinando a Criança a Amar a Natureza, Vania Dohme e Walter Dohme, 175 págs., Ed. Informal, tel. (11) 6977-6305, 27 reais

Compartilhe

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários

 

Publicado em Outubro 2007,
 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais

Assine suas revistas impressas ou digitais!

Compre suas revistas digitais e e-books!

Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.