Revista do mês
Nova Escola
Assine Nova Escola
publicidade

Série especial sobre brincadeiras regionais

Após um intenso uni-duni-tê, mapeamos 40 brincadeiras em dez estados brasileiros. Elas compõem a série especial que você acompanha nesta página

Ana Ligia Scachetti. Colaboraram Caroline Ferreira e Fernanda Salla

Especial Brincadeiras Regionais

Será que as crianças de hoje ainda cantam assim? Do que elas brincam? Para responder a essas dúvidas, NOVA ESCOLA inicia nesta edição uma série de dez reportagens sobre brincadeiras nas cinco regiões brasileiras. Você verá que os pequenos ainda se divertem bastante nesse país tão plural. "Há uma cultura da infância muito viva no Brasil e devemos prestar atenção nela", constata Renata Meirelles, coordenadora do projeto Território do Brincar.

Apesar dessa diversidade, Renata admite que os empecilhos para que as práticas infantis se desenvolvam são grandes. Afinal, a interação entre os mais novos tem diminuído. Em muitas cidades, as brincadeiras de rua mudaram de endereço: agora estão nas áreas comuns dos prédios e nos parques. Também têm lugar em organizações não governamentais (ONGs) e no pátio das escolas, que as crianças frequentam após as aulas para atividades do contraturno. A vida delas está cada vez mais institucionalizada e, nesses locais, há quase sempre um adulto indicando o que devem fazer. Normalmente, são divididas por idade, o que gera grupos homogêneos e dificulta a troca de repertórios. "Criança sem tempo livre perde o espaço mais intrínseco do brincar, que é a liberdade de decidir e de construir", avalia.

A falta de condições para que as atividades típicas da infância fluam é preocupação também de Adriana Friedmann, coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Simbolismo, Infância e Desenvolvimento (Nepsid), em São Paulo. "É importante que os adultos resgatem as brincadeiras, ensinem os pequenos e deixem que eles se expressem."

Com o estímulo na medida certa, a criançada abre mão dos brinquedos industrializados e reconfigura a diversão a seu modo. "Enquanto estamos mapeando as brincadeiras, outras estão nascendo. Não devemos rotulá-las nem considerar que umas são melhores que outras. Todas são fruto da relação das crianças com elas mesmas", complementa Renata.

Para colaborar com a disseminação dessa riqueza infantil, a revista apresenta quatro atividades de cada um dos dez estados visitados. As quatro páginas seguintes, que abordam o estado de São Paulo, são o primeiro capítulo do levantamento nacional. E no site novaescola.org.br/brincadeiras-regionais serão apresentados mais imagens e detalhes das manifestações encontradas. E aí, quer brincar com a gente?

 

Dicas para brincar com as páginas desta reportagem, publicada na Nova Escola de Abril de 2012 (edição 253)

As páginas da série Brincadeiras Regionais possuem pequenas surpresas para te envolver neste universo de diversão. Veja abaixo como encontrá-las:

Páginas da Brincadeira
1. Prepare a sua coleção
Recorte com cuidado as páginas usando um estilete e coloque em uma pasta.
A cada nova edição, faça o mesmo com as páginas da série Brincadeiras Regionais.
Ao todo serão dez capítulos, cada um com brincadeiras de um estado brasileiro.

 

Páginas da Brincadeira
2. Animação
No canto inferior direito das páginas ímpares há uma menina pulando corda. Você poderá ver o movimento completo dela ao final da publicação da série.
Para que essa brincadeira possa ser bem visualizada é importante que você posicione as folhas bem juntinhas na pasta. Quando tiver todos os capítulos, folheie as páginas de trás para frente, segurando na ponta da folha e soltando uma a uma, para ver como a menininha pula corda.

Esta técnica se chama stop motion e imita o funcionamento de alguns filmes: vários quadros estáticos em sequência formam um movimento.

 

 

Páginas da Brincadeira
3. Dobradura
Dobre a primeira página desta edição ao meio, para dentro, conforme está indicado.
Dobre a última página desta edição ao meio, também para dentro, conforme indicação.
As duas brincadeiras de roda vão se completar, formando uma roda única!

4. Surpresa
Recorte com um estilete o quadradinho que aparece na parte de cima do lado direito da primeira página deste capítulo. Após realizar a dobradura do item 3, dobre o quadradinho para cima e a peteca vai aparecer no centro da roda.

 

 

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA
e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários

 

Publicado em NOVA ESCOLA Edição 252, Maio 2012. Título original: Quem quer brincar, põe o dedo aqui
Assine já a sua revista!
Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.