Revistas do mês
Nova Escola
Gestão Escolar
publicidade

Plano de Aula

Semelhanças e diferenças entre meninos e meninas

Objetivos
- Perceber semelhanças e diferenças entre pessoas do mesmo sexo e de sexos opostos.
- Entender que cada ser é único.
- Compreender o que está acontecendo com o próprio corpo.
- Identificar mudanças que podem ser indicadores de desenvolvimento típicos de determinada faixa etária.
- Saber que o corpo está se desenvolvendo.
Flexibilização para deficiência física (cadeirante)
- Identificar as características físicas que influenciam na mobilidade.

Conteúdos
- Desenvolvimento corporal.
- Diferenças e semelhanças entre os sexos.

Anos
1º e 2º.

Tempo estimado
Quatro aulas.

Material necessário
Cartões com imagens de um menino, um adolescente e um homem adulto (podem ser recortes de revistas, desenhos feitos à mão ou ilustrações retiradas na internet), outra série de cartões com imagens de uma menina, uma adolescente e uma mulher adulta (idem), computadores ligados à internet e impressora com papel sulfite. 

Flexibilização para deficiência física (cadeirante)
Imagens de meninos, meninas, homens e mulheres cadeirantes ou com outra deficiência física.

Flexibilização 


Desenvolvimento
1ª etapa
Desenhe ou apresente a imagem de um bebê no quadro e escolha um aluno para ajudar na atividade. Peça que ele fique ao lado do desenho. Pergunte para a turma o que existe de diferente entre o colega e o desenho. Anote os pontos levantados em outro espaço do quadro e diga ao aluno para voltar ao seu lugar. Em seguida, converse com a garotada sobre o desenvolvimento corporal típico dessa idade. Utilize os pontos levantados pelas crianças para explicar e fazer comparações entre as diferentes fases de crescimento - desde quando eram bebês até o presente momento. Solicite, então, que observem entre elas modificações de peso, altura e dentição, entre outros aspectos. Direcione as observações para o desenvolvimento do corpo como um todo. 

Flexibilização para deficiência física (cadeirante)
Amplie a conversa para outras diferenças físicas. O papo deve ser direcionado à formação da identidade e ao reconhecimento da diversidade - sempre baseado em informações compatíveis com os interesses e a capacidade de compreensão dos alunos.

2ª etapa
Forme grupos de três alunos e entregue para cada equipe dois cartões: um com as figuras do sexo masculino e outro com as do sexo feminino. Peça que observem as três imagens masculinas (menino, adolescente e homem) e anotem no caderno as características físicas que mudaram conforme eles foram crescendo e se desenvolvendo. Quando eles finalizarem essa tarefa, solicite que repitam o procedimento com as imagens do sexo feminino (menina, adolescente e mulher).

Flexibilização para deficiência física (cadeirante)
Forme um trio para esse aluno, com dois colegas que favoreçam a construção e a expressão de seus conhecimentos. Inclua figuras de pessoas com deficiência física no material de todos os grupos, e não apenas naquele do qual ele fará parte.

3ª etapa
Solicite que, ainda em grupos, os estudantes anotem no caderno as semelhanças e diferenças que eles conseguem observar entre homens e mulheres nas três fases da vida (infância, adolescência e maturidade). Em seguida, promova um debate sobre o desenvolvimento dos seres humanos, sem fazer distinção entre os sexos. Com a sua ajuda na orientação, eles devem chegar às seguintes conclusões: 1) Cada fase da vida tem características próprias; 2) Homens e mulheres apresentam diferenças e semelhanças; 3) Pessoas do mesmo sexo também apresentam diferenças e semelhanças; 4) Cada indivíduo é único, independentemente do sexo ou da fase da vida.

4ª etapa
Leve os alunos a uma sala de multimídia, com computadores conectados à internet e ligados a uma impressora, e apresente-lhes o site Virtual Closet, ou Guarda-Roupas Virtual. Nesse link há um jogo educativo no qual é possível montar um boneco (menino ou menina) com diferentes características (cabelo, tom de pele e cor dos olhos). Peça que cada criança crie um boneco do seu sexo e imprima a imagem. Depois, disponha a turma em círculo e solicite que cada aluno apresente sua criação. A intenção, mais uma vez, é demonstrar que, embora todos os bonecos apresentem traços em comum, não há dois iguais. Retorne ao conceito da etapa anterior (cada ser é único) e peça que as crianças formem pares de meninas com meninas e meninos com meninos. A tarefa de cada aluno, agora, será observar o colega de dupla para mais uma vez identificar semelhanças e diferenças - agora, tendo a si mesmo como parâmetro.

Flexibilização para deficiência física (cadeirante)
Para formar a dupla do aluno com deficiência, escolha um colega com o qual ele se sinta à vontade para ouvir e falar de semelhanças e diferenças.

Avaliação
Solicite que os alunos, individualmente, montem um quadro em que apareçam um menino e uma mulher adulta (as figuras podem ser desenhadas à mão ou recortadas e coladas). As crianças devem comparar as ilustrações e enumerar as semelhanças e as diferenças. Abaixo dos itens enumerados, peça que elas escrevam um pequeno texto sobre o desenvolvimento daqueles personagens - desde quando eram bebês. Avalie os estudantes com base no quadro e no texto.

Flexibilização para deficiência física (cadeirante)
É importante deixar que o aluno escreva e desenhe o que desejar. Estimule-o a participar da atividade, mas sem influenciar sua produção.

Consultoria: Alline Soler
Professora de Biologia e Ciências.

Compartilhe

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários
 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais

Assine suas revistas impressas ou digitais!

Compre suas revistas digitais e e-books!

Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.