Assine Nova Escola
Revistas do mês
Nova Escola
Gestão Escolar
publicidade

Os impactos da extinção de espécies na cadeia alimentar

Mostrar a interdependência entre os seres vivos é o primeiro passo para ajudar a classe a entender o desequilíbrio ambiental causado pela extinção de espécies

Fernanda Salla

Página de > >|
=== PARTE 1 ====
OBSERVAÇÃO ATENTA Alunos da EMEF Laura Suriani Barbuio analisam durante a aula um lobo-guará empalhado Foto: Raoni Madalena
OBSERVAÇÃO ATENTA Alunos da EMEF Laura Suriani Barbuio analisam durante a aula um lobo-guará empalhado

Nos primeiros anos escolares, as crianças aprendem sobre o ciclo de vida dos animais. Nessa fase, o professor deve começar a ampliar a visão dos alunos sobre a relação entre as espécies, mostrando que há uma ligação entre elas e com o meio ambiente. "É importante mostrar do que se constituem os seres vivos e que eles dependem uns dos outros para realizar suas funções vitais", explica Priscila Melo, psicóloga educacional especialista no Ensino Fundamental 1 e coordenadora da Sangari Brasil.

Uma das formas de fazer isso é apresentar o conceito de cadeia alimentar e os impactos de qualquer alteração nela, como a extinção de uma espécie (veja sequência didática). No Brasil, há pelo menos 627 animais ameaçados de extinção, segundo o Ministério do Meio Ambiente (MMA).

Atualmente, 16.119 espécies são consideradas em perigo em todo o mundo. Diferentemente da extinção dos dinossauros, 65 milhões de anos atrás, o desaparecimento das espécies atuais é provocada essencialmente pela ação humana. A atual taxa de extinção das espécies, causada pelo homem, é estimada como mil a dez mil vezes maior do que a taxa natural de amortização, ou seja, a morte de uma espécie causada exclusivamente por fatores naturais.

As espécies deixam de existir por diversos motivos, mas sobretudo devido à fragmentação do habitat, ou seja, quando a devastação das florestas e matas acaba criando bolsões isolados de fauna e flora. "A mata Atlântica original, por exemplo, era uma linha contínua do Norte ao Sul do Brasil. Com a ocupação humana, tiramos muito dessa floresta e o que restou hoje está dividido. Os bichos ficam isolados em bolsões de mata e, com isso, não há reprodução entre os animais de regiões diferentes. Isso faz com que os mais sensíveis acabem desaparecendo", diz José Sabino, doutor em Ecologia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), no interior de São Paulo, e biólogo da Universidade Anhanguera, em Mato Grosso do Sul. Além disso, temos caça, poluição, tráfico de bichos silvestres e a introdução de animais exóticos pelo homem, que não pertencem originalmente ao habitat.

=== PARTE 2 ====
=== PARTE 3 ====

Continue lendo a reportagem

Compartilhe

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários
Página de > >|
Compartilhe

 

Publicado em NOVA ESCOLA Edição 237, Novembro 2010. Título original: Relação em cadeia
 Garanta já a sua revista! Assinaturas, edições impressas e digitais

Assine suas revistas impressas ou digitais!

Compre suas revistas impressas!

Compre suas revistas digitais e e-books!

Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.