publicidade

Astronomia

De onde veio a Lua?

Ana Rita Martins

Foto: NASA/Cortesia nasaimages.org
Foto: NASA/Cortesia nasaimages.org

Nem mesmo os astrônomos sabem ao certo como o satélite natural da Terra surgiu, mas a dúvida não é motivo para deixar o assunto fora da sala de aula. Quando se trata de ciência, tão importantes como as constatações são os caminhos percorridos para alcançá-las e os saberes adquiridos nessa trajetória.

"Explorar as teorias sobre a origem da Lua, além de ser uma maneira de conhecer mais um pouco a respeito do Sistema Solar - indo além dos temas que os livros didáticos tradicionalmente abordam (entre eles, os eclipses, as fases lunares e a relação do astro com o calendário e com as marés) -, leva a garotada a entender que o pensamento científico é baseado em muita pesquisa e debate", defende Marcos Engelstein, professor de Biologia do Colégio Móbile e assessor de Ciências do Colégio Anglo-Brasileiro, ambos em São Paulo (leia mais na sequência didática).

Atualmente, os astrônomos consideram quatro teorias para a origem da Lua:

Lua, irmã da Terra

Segundo esse pensamento, depois da formação da Terra, teria sobrado material - que ficou gravitando em volta dela. Com o tempo, ele acabou se aglomerando e formando a Lua. A justificativa para validar essa ideia é que o satélite e nosso planeta têm algumas características em comum, como a idade das rochas existentes em ambas as superfícies. Porém há diferenças significativas que ficam sem explicação, como a menor quantidade de ferro encontrada em solo lunar.

Lua, irmã siamesa da Terra

Essa teoria é um consenso entre a maioria dos astrônomos atualmente. Elaborada em 1975, diz que, depois que um gigantesco meteorito (com as mesmas dimensões de Marte) colidiu com a Terra, há cerca de 4,5 bilhões de anos, um pedaço do globo teria se soltado e sido lançado para longe, dando origem à Lua. O que sustenta esse pensamento é que a existência do tal meteorito explicaria a origem das substâncias que marcam as diferenças entre o nosso planeta e o satélite. No entanto, ele não serve para fundamentar as diferenças de concentração de alguns elementos químicos encontrados nas amostras da superfície lunar.

Lua, filha da Terra

Tal como a explicação anterior, defende que o satélite natural surgiu da Terra por volta de 4,5 bilhões de anos atrás. Ainda incandescente, nosso planeta começou a girar em torno de si mesmo - muito mais rápido do que ocorre hoje no movimento de rotação - e a alta velocidade fez com que pedaços ainda quentes fossem jogados para longe, formando a Lua. Formulada em 1878, a teoria alega que a região do oceano Pacífico corresponde ao pedaço que formou a Lua. A ideia não é muito aceita por dois motivos: o espaço oceânico não seria suficiente para compor um astro das dimensões da Lua e, se ela tivesse realmente se desprendido da Terra, sua órbita seria outra.

Lua, namorada da Terra

Embora não esclareça como o satélite surgiu, explica de onde ele veio. Formada em algum ponto distante do Sistema Solar, a Lua se aproximou de nosso planeta, pois sua trajetória foi perturbada pela presença de um grande astro e ela acabou sendo atraída pela gravidade terrestre. Para a maioria da comunidade científica, tal possibilidade é remota, ainda que explique várias diferenças de constituição entre os dois astros.

Quer saber mais?

CONTATOS
Cristian Annunciato
Marcos Engelstein 

BIBLIOGRAFIA
Os Segredos do Sistema Solar, Paulo Sergio Bretones, 44 págs., Ed. Atual, tel. 08000-117-875, 26,70 reais
O Universo, o Sistema Solar e a Terra, Elian Alabi Lucci e Anselmo Lazaro Branco, 48 págs., Ed. Atual, 29,90 reais

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA
e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários

Na dúvida? NOVA ESCOLA responde

 

Publicado em NOVA ESCOLAEdição 229, Janeiro/Fevereiro 2010,

 

Fundação Victor Civita © 2015 - Todos os direitos reservados.