Revista do mês
Nova Escola
Assine Nova Escola

Tecnologia

O que é um vírus de computador?

Renata Costa

 

Vírus nada mais são do que pequenos programas desenvolvidos com o objetivo de causar algum dano ao usuário do computador. Imagem: Editoria de Arte
Vírus são pequenos programas desenvolvidos
com o objetivo de causar algum dano ao usuário
do computador. Imagem: Editoria de Arte

O nome é o mesmo dos agentes causadores de doenças infecciosas, os vírus. No caso do computador, no entanto, esse organismo não é biológico e sim eletrônico. "Vírus nada mais são do que pequenos programas desenvolvidos com o objetivo de causar algum dano ao usuário do computador", explica João Eduardo Vieira, professor de Análise de Sistemas e Tecnologias da Informação da Faculdade de Tecnologia (Fatec) de Carapicuíba (SP). 

Por que alguém lança um vírus pela internet é uma das questões importantes. Pode ser simplesmente uma brincadeira sem-graça para apagar arquivos e alterar o sistema operacional do usuário infectado ou roubar informações sigilosas. João Eduardo explica que o tipo de vírus mais comum é o chamado "trojan bancário", feito para pegar dos computadores alheios informações de contas bancárias e de cartões de crédito. Por isso é importante sempre fazer operações ou compras online em sites com certificado de segurança. Os que têm essa proteção a indicam, normalmente, no fim da página.

Há muitos tipos de vírus, os mais conhecidos são os simples, que infectam programas e arquivos e são normalmente ativados quando o usuário clica em algum link de internet ou programa executável (aqueles de terminação .exe).

Outro tipo é o cavalo de troia, também conhecido como trojan (trojan horse), que parece ser um programa útil, um jogo, por exemplo, mas que na verdade é usado para roubar senhas. O terceiro tipo bastante conhecido é o worm, mais prejudicial que os outros vírus, pois consegue se multiplicar sozinho e ampliar a infecção para outros computadores via internet.

Em qualquer caso, o principal responsável pela contaminação da máquina é o usuário. "Normalmente ele clica em links que vêm de e-mails recebidos de desconhecidos. Claro que pode haver também a autoexecução do vírus, mas ela é muito mais rara", diz João Eduardo. Nesse último caso, o vírus está em alguns sites e, quando o internauta entra na página e tenta ver um vídeo ou baixar algum programa, o vírus vai junto.

Quem desenvolve esses vírus são pessoas com grande conhecimento em programação e em sistema operacional de computadores. E, por incrível que pareça, existe um comércio de vírus pela internet, principalmente aqueles para roubo de senha de banco e cartões. "Todos os dias aparecem cerca de 1.400 novos vírus e as empresas mal dão conta de produzir antídotos para todos", explica.

É, portanto, uma batalha difícil de ser vencida, já que todos os dias há novidades em vírus. Por isso, João Eduardo afirma que não há 100% de segurança digital. O melhor é prevenir, trocando sempre as senhas de e-mail e de sites bancários, e atualizar o antivírus.

Gostou desta reportagem? Assine NOVA ESCOLA
e receba muito mais em sua casa todos os meses!

Comentários

 

Publicado em Agosta 2009,
Assine já a sua revista!
Nova Escolar
  Patrocínio     Edições SM

Fundação Victor Civita © 2013 - Todos os direitos reservados.