Neurociência: o assunto da semana no GENTE QUE EDUCA

| Sem categoria

Foto: Mikey G. Otawwa - CC

Não é de hoje que as descobertas sobre o funcionamento do cérebro influenciam as pesquisas da Educação. A relação entre a psicologia cognitiva e a neurociência já foi tema de uma reportagem de capa da edição 253 de  NOVA ESCOLA, em 2012. A revista investigou o papel da emoção, da motivação e de outros aspectos ligados ao processo de aprendizagem, a partir de questões tratadas por grandes teóricos da Psicologia como Jean PiagetLev Vygotsky, Henri Wallon e David Ausubel.

No mesmo ano, o site NOVA ESCOLA publicou um texto explicativo sobre cinco neuromitos, que derrubaram afirmações até então comuns, como “o ser humano usa somente 10% da capacidade do cérebro”.

Pois bem! Nesta semana, dois usuários do GENTE QUE EDUCA colocaram o assunto novamente em destaque! Alexandre Rodrigues da Silva, divulgou um debate transmitido pela TV PUC-Campinas com estudiosos de neurociência. A primeira parte pode ser vista no vídeo abaixo:

Alexandre também fez postagens, em sequência, com o restante do debate: a segunda parte está aqui, a terceira, aqui e a última, aqui. Por fim, deixou ainda uma sugestão de leitura.

Já a embaixadora do GENTE QUE EDUCA Alessandra Torres Mendes publicou nada menos que 18 posts sobre neurociência, além de outros conteúdos sobre temas relacionados. Entre eles, escreveu sobre o funcionamento do cérebro, recomendou uma série de reportagens produzidas pelo Jornal da Globo e o trecho de uma palestra da neurocientista Suzana Herculano, que pode ser conferida abaixo:

E aí, o que achou das sugestões? Acredita que elas possam contribuir positivamente para o debate? Deixe sua opinião nos comentários!

E se você ainda não faz parte do GENTE QUE EDUCA, não perca tempo! Faça seu cadastro gratuito e participe da rede que reúne educadores de todo o país! :)



Deixe um comentário

5 dicas de filmes e livros dos usuários do GENTE QUE EDUCA para curtir no tempo livre

| Sem categoria

E aí, tem programa para o feriado de Tiradentes? Se a ideia é ficar os próximos quatro dias em casa e aproveitar o tempo livre, vale dar uma passada no GENTE QUE EDUCA e conhecer melhor a rede e seus recursos.

Lá você também encontra muitas dicas culturais e de formação. Para facilitar, reunimos aqui cinco posts publicados pelos educadores que trazem recomendações de livros e filmes para você avaliar. Confira a lista!

1) Coletânea de crônicas

Gláucia Carlos da Silva recomendou o livro O Amor que Acende a Lua (216 págs., Ed. Papirus), do escritor e educador Rubem Alves. “Impossível não se apaixonar por uma escrita tão fascinante quanto as desse autor!”, disse ela. Você concorda?
Veja o post aqui.

 

2) É ficção, mas poderia ser real

A dica do Jonathan Ronyere da Silva é de cinema. O Substituto (2011, 98 min.), do diretor Tony Kaye, conta a história de Henry Barthes, um professor brilhante, mas que só queria cobrir as faltas dos colegas. Quando ele começa a trabalhar em uma escola pública violenta e desmotivada, passa a repensar sua relação com os alunos. Se você já assistiu, conte-nos o que achou!

Veja o post do Jonathan aqui. E, abaixo, você encontra um aperitivo do longa:

 

3) De olho na formação

Essa é para quem quer aproveitar o descanso para estudar. Uma das embaixadoras do GENTE QUE EDUCA, Priscila Araújo  se lembrou do livro Vygotsky – Aprendizado e desenvolvimento: um processo sócio-histórico, de Marta Kohl de Oliveira, (557 págs., Ed. Scipione), que conheceu nos tempos de faculdade. Você também leu a obra na graduação?
Veja o post dela aqui.

 

4) Para todos os gostos

Alexandre Rodrigues da Silva não economizou e recomendou logo dez filmes relacionados à Educação! A lista, extraída do Portal Aprendiz, traz o famoso A Onda (2008, 107 min.), do diretor Dennis Gansel, e o documentário Ser e Ter (2002, 104 min.), de Nicholas Philibert.
Para ver a lista completa, abra o post do Alexandre.

Confira o o trailer do documentário citado:

 

5) Avaliação em foco

Marcos Roberto da Conceição participou de uma palestra recentemente e trouxe para a rede uma sugestão: o livro Manual de Desempenho Escolar: Análise de Leitura e Escrita (121 págs., Ed. Unisul), de Francisco Rosa Neto, Eliane Risson Santos e Josep Toro.
A obra descreve as diferentes etapas de leitura e da escrita nas séries iniciais do Ensino Fundamental, oferecendo subsídios para avaliar as práticas pedagógicas. Você acha que vale a leitura?
Para ver o post e ter acesso ao PDF completo, clique aqui.

 

Por hoje é só! Mas esperamos os comentários de vocês aqui no blog e no GENTE QUE EDUCA. ;)


#partiuferiado!



5 Comentários

3 ferramentas gratuitas para salvar links da internet

| Celular, Computador, Dica de aplicativo, Tablet

Dicas para não perder os materiais que você encontra na rede

Ferramentas para salvar links Crédito: Shutterstock

Você já se sentiu soterrado pelo volume de informação disponível a um clique? Não é uma sensação, é um fato: a cada instante, milhões de arquivos são criados e compartilhados na internet, seja por e-mail, trocadores de mensagem, sites ou redes sociais!

O infográfico abaixo, divulgado em 2014, mostra a quantidade de informação gerada em apenas um minuto. Clique na imagem para vê-la maior:

Quantos dados são gerados a cada minuto? Crédito: Domo

Não há tempo que baste para dar conta de ver tudo! É por isso que a chamada curadoria de conteúdo é cada vez mais valorizada hoje em dia. “Curar conteúdo” nada mais é do que selecionar e organizar referências relevantes. Você já deve ter cruzado com um material superinteressante para sua turma enquanto dava aquela checadinha noturna no Facebook, não é? Mas, como organizar esses links?

Tem gente que manda e-mail para si mesmo, que envia como mensagem para um amigo (“segura aí pra mim!”) ou que adiciona o link na barra de favoritos do navegador, o famoso bookmark. Mas existem outras opções mais inteligentes e eficientes!

Conheça ferramentas gratuitas para salvar links:

1) Pocket
Crédito: Divulgação

Organize em um só lugar aqueles materiais que você quer ler depois. Depois de fazer sua conta no Pocket, você pode atribuir “tags” aos seus links e também realizar buscas entre as referências salvas. Com aplicativo para os sistemas IOS e Android, além do site, é possível usar o Pocket no celular e no computador.

O programa é basicamente uma lista de itens para ler – que é ótimo ter à mão quando você está em alguma fila ou no ônibus. Depois da leitura, você pode arquivar o item, para limpar o seu “banco”, mas ainda assim o link permanece salvo para consultas futuras.

Há também a extensão, que instala o Pocket no navegador, e salva links com apenas um clique!

Uma dica valiosa é criar uma rotina para organizar seu banco de links. Caso contrário, em pouco tempo você será soterrado pelos links que salvou – e a razão de catalogar e organizar essas referências era justamente diminuir a ansiedade causada pela avalanche de informações! :)

2) Evernote
logo-evernote

O Evernote é um dos aplicativos mais completos para organizar seus dados, como notas, áudio, imagens e links. Na sua conta, é possível criar categorias para as notas e acessá-las do computador ou do celular.

Você pode baixar o aplicativo, disponível para os sistemas Android e IOS, e/ou baixar o programa para computador. A extensão para navegador também facilita o uso da ferramenta. Há uma versão gratuita, com algumas limitações, e outra Premium.

Para conhecer outros usos do Evernote, acesse o post Chega de papelada – Conheça um aplicativo para ajudar você a se organizar. 

3) Delicious
Logo Delicious Crédito: Divulgação

É um dos mais antigos serviços de bookmark e também funciona como uma rede social. Nele, você pode salvar e compartilhar seus links, além de conferir o que seus amigos andam salvando.

As tags são igualmente utilizadas para organizar as referências, com o diferencial de que é possível pesquisar os links populares de cada tag, o que é muito útil para descobrir novos conteúdos! Clique aqui para ver as referências atreladas à #Educação. Pena que a maioria das tags está em inglês…

Assim como o Pocket e o Evernote, o Delicious pode ser acessado pelo computador ou celular, com aplicativos para Android e IOS, e também conta com a extensão para seu navegador.

BÔNUS: Facebook
Para salvar postagens que você vê no Facebook, existe desde o ano passado uma funcionalidade da própria rede social. Apesar de não possuir os recursos dos outros aplicativos, sua utilização é bem fácil. Veja como usar:

Na timeline, clique na setinha que fica no canto direito do post e depois em “salvar”.

Como usar o recurso de salvar postagens do Facebook. Crédito: Reprodução
Pronto!

Todos os posts que você salvar estarão disponíveis no link: https://www.facebook.com/saved/
O atalho fica na coluna esquerda:
Como usar o recurso de salvar postagens do Facebook. Crédito: Reprodução

E você, educador, como salva e organiza materiais online? Usa alguma outra ferramenta ou método? Conte para a gente nos comentários abaixo!


TAGS: , , ,

Deixe um comentário

Celular em sala de aula: proibir ou não?

| Celular, Tablet

Projeto de lei prevê proibição em escolas de todo país. Veja referências para refletir sobre o assunto

Celular em sala de aula: proibir ou não? Crédito: Shutterstock

Uma proposta de lei em análise na Câmara dos Deputados reacendeu a discussão sobre o uso de celular em sala de aula. A PL 104/15 proíbe o uso de aparelhos eletrônicos portáteis, como celulares e tablets, nas salas de aula da Educação Básica e Superior de todo o país.

A justificativa do projeto diz que “para preservar a essência do ambiente pedagógico” cabe a proibição de todos os equipamentos que “desviam a atenção do aluno do trabalho didático desenvolvido pelo professor”. (Para ler a íntegra do projeto de lei, clique aqui.)

A lei também estabelece que aparelhos só serão permitidos em sala de aula se fizerem parte das atividades didático-pedagógicas e forem autorizados pelos professores. De qualquer maneira, professores discutem se a proibição é a melhor maneira de tratar do assunto em sala de aula e se a lei não vai na contramão das discussões sobre uso da tecnologia para aprendizagem e sobre a necessidade de formação dos professores nesta área.

Veja alguns materiais interessantes para refletir sobre a questão:

1) Coluna: “É preciso ensinar os alunos a usar a tecnologia com consciência”
“A escola que se empenha em inquietar o jovem, confrontando-o com questionamentos e conteúdos que o ajudam a entender o mundo em que vive, não deve temer a tecnologia, mas problematizá-la.”

A especialista em Psicologia da Educação Catarina Iavelberg faz uma reflexão sobre como a escola deve lidar com o uso da tecnologia. Leia a coluna Nosso Aluno, da revista GESTÃO ESCOLAR.

Acesse: http://gestaoescolar.abril.com.br/formacao/preciso-ensinar-alunos-usar-tecnologia-consciencia-615029.shtml

2) Publicação: “Diretrizes de políticas da UNESCO para a aprendizagem móvel”
“Pela primeira vez na história, o número de aparelhos móveis com internet – sendo a grande maioria telefones celulares – irá superar a população mundial. Entretanto, apesar da sua onipresença e dos tipos especiais de aprendizagem que elas podem apoiar, com frequência essas tecnologias são proibidas ou ignoradas nos sistemas formais de educação. Isso representa uma oportunidade perdida.”

Neste documento, a UNESCO elenca os benefícios da aprendizagem móvel, como assegurar o uso produtivo do tempo em sala de aula, criar novas comunidades de estudantes e auxiliar estudantes com necessidades educacionais especiais, entre outros. A organização também descreve diretrizes para criação de políticas para o tema, que envolvem principalmente o apoio e a formação de professores, além da melhoria da infraestrutura para conectividade.

Acesse o documento na íntegra: http://unesdoc.unesco.org/images/0022/002277/227770por.pdf

3) Matéria: “Sete motivos para ligar o celular na sala de aula”
“”Liguem os telefones celulares.” Quando esta for a primeira frase que o professor disser a seus alunos ao entrar na classe, em vez de mandar que os desliguem, a mudança será real. No mundo atual, plenamente digitalizado, a entrada da tecnologia na educação não tem retorno.”

A jornalista espanhola especializada em Educação Susana Pérez de Pablos listou em matéria do El País as razões para explorar o celular em sala de aula.

Leia a tradução disponível no site UOL: http://educacao.uol.com.br/noticias/2015/02/24/sete-motivos-para-ligar-o-celular-na-sala-de-aula.htm

4) Plano de aula: “Combinado para o uso do celular durante a aula”
Com esta sequência didática, você levará os alunos a discutirem sobre o uso do celular em sala de aula, elaborarem uma assembleia para criar regras coletivamente e ainda refletirem sobre normas e procedimentos.

Acesse: http://www.gentequeeduca.org.br/planos-de-aula/combinado-para-o-uso-do-celular-durante-aula

Você concorda com o projeto de lei? Como a sua escola lida com o uso de celulrares? E na sua aula, como é? Deixe seu comentário abaixo!


TAGS: , ,

11 Comentários

Melhores momentos do grupo de estudo Tecnologia na sala de aula

| Sem categoria

Página de apresentação do grupo.

Não conseguiu acompanhar o grupo de estudo Tecnologia na sala de aula, realizado em março no GENTE QUE EDUCA? Não tem problema! Neste post, você confere um resumo com os melhores momentos, incluindo as principais reflexões compartilhadas pelos educadores da rede.

O grupo foi inspirado na reportagem de capa da edição nº 280 (março de 2015) de NOVA ESCOLA, que abordou como as tecnologias podem ser usadas na Educação. Com a coordenação de Patrícia Diaz, diretora de Desenvolvimento Educacional na Comunidade Educativa CEDAC, o grupo procurou responder à seguinte questão: “Por que se resiste ao uso da TIC em sala de aula?”.

Para tanto, Patrícia propôs um planejamento de estudo baseado em quatro atividades. Conheça, a seguir, todos os detalhes.

Atividade 1
O primeiro post foi direcionado à apresentação dos participantes, que deveriam falar um pouco de si e compartilhar os motivos que os levaram a integrar o grupo. A embaixadora Priscila Araújo aproveitou para já fazer uma pergunta:

Priscila

Para ver o post completo e conhecer o perfil dos participantes, clique aqui.

Atividade 2
Na sequência, Patrícia solicitou a leitura de cinco frases comuns que ela ouve de professores quando o assunto é o uso da tecnologia da informação e comunicação (TIC) em sala de aula. Cada participante, então, deveria escolher uma delas para comentar.

Frases

Polêmico, não? Para ver os comentários dos educadores, clique aqui.

Atividade 3
Já na penúltima atividade, a coordenadora do grupo indicou trechos de livros de Delia Lerner, Emilia Ferreiro e Cesar Coll, três grandes referências da Educação, além de sugestões de vídeos e textos sobre as TICs. O objetivo, aqui, era relacionar os materiais com as frases apresentadas na atividade 2.

pensadores

Para não perder as outras indicações, clique aqui!

Atividade 4
Para fechar a sequência de estudo, os educadores foram convidados a comentar o que poderia ser melhorado na própria prática pedagógica com relação ao uso da TIC, levando em consideração o que haviam discutido no grupo. Veja o comentário da Anna Silva, outra embaixadora da rede.

atividade 4

Ficou com vontade de curtir ou comentar a mensagem dela? Acesse aqui.

Bacana, não é mesmo? E isso foi apenas um resumo, já que cada atividade foi seguida por um post extra da Patrícia, em que ela comentou as contribuições dos participantes e contribuiu ainda mais para o desenvolvimento do grupo.

final

Vale ainda dizer que a partir do dia 27 de março, o grupo segue aberto, porém sem mediação, para qualquer educador publicar novos posts e compartilhar suas reflexões. Não deixe de aproveitar! ;)



Deixe um comentário

Como funciona o Google?

| dicas

Entenda o mecanismo por trás dos sites de busca para fazer pesquisas mais eficientes

Página do Google. Crédito: Reprodução

Há algumas décadas, a internet era organizada em listas enormes com as URLs de alguns sites. Para nossa sorte, hoje temos buscadores de páginas, muito mais inteligentes e complexos. Entre eles, se destaca, claro, o Google. Vale a pena entender como ele funciona para tirar melhor proveito dessa valiosa ferramenta!

Dois motivos fizeram o Google se tornar sinônimo para “busca”: o crawler Googlebot, um robô que escaneia todos os endereços existentes na internet e os indexa, isto é, coleta, analisa e armazena as informações de cada página na internet para facilitar a recuperação desses dados quando alguém faz uma busca.

O outro motivo é o PageRank, um algoritmo (programa de computador) com inúmeros componentes que ajudam a determinar a relevância de uma determinada página para as palavras buscada por alguém. A ordem de aparição dos resultado da busca é definida por esse programa, de acordo com a pontuação de cada página nesses componentes.

A fórmula do PagwRank é secreta, mas sabe-se que são levados em conta fatores como a presença na página dos termos buscados , a atualidade, o título, a quantidade de outros sites que indicam a página e até o histórico pessoal de resultados da pessoa que faz a busca e das pessoas conectadas a ela. Por exemplo, se você busca pelo termo “Educação Infantil”, esta página de NOVA ESCOLA aparece no topo da busca o Google, pois ele analisou – em segundos – que ela contém o termo buscado e que muitos outros sites fazem referência a ela, logo deve ser um conteúdo relevante para quem está buscando.

Dicas para fazer buscas mais eficientes
Os outros sites de busca funcionam de maneira parecida. Depois de entender esse mecanismo, é possível adequar os termos pesquisados para encontrar melhores resultados. Veja algumas orientações!

1) Escolher bem o termo para pesquisar
Como o mecanismo de pesquisa compara as palavras que você quer buscar com o texto das páginas da web, o ideal é usar palavras que possuem mais chance de aparecer nessas páginas, ou seja, palavras mais comuns.

Além disso, o Google não diferencia maiúsculas e minúsculas, e ignora a pontuação, então não se preocupe com esses detalhes na hora de buscar algo.

Exemplo:
Em vez de: Meu aluno está chorando!
Busque por: choro creche

2) Evitar termos de busca muito genéricos
Como a internet tem bilhares de páginas sobre uma infinidade de assuntos, se os termos buscados forem muito genéricos, o risco de não encontrar o que se procura é grande.

Exemplo:
Em vez de: formação
Busque por: formação professores matemática

Bônus: Essa dica também serve para buscas feitas dentro de algum site. Se você já está em algum site que contém textos sobre o assunto que lhe interessa, por exemplo, Gestão Escolar, é melhor buscar por temas dentro desse universo, como PPP.

3) Definir o tipo de arquivo a ser encontrado
Esta dica é muito útil para educadores. No Google, você pode pesquisar por tipo de arquivo! Para isso, basta adicionar ao termo de busca “filetype: e a abreviação do tipo de arquivo”. (PDF, PPT, XLS etc)

Exemplo:
Em vez de: Quero o texto Quincas Borba, de Machado de Assis
Busque por: quincas borba machado de assis filetype:pdf

Aproveito para divulgar uma das iniciativas da Fundação Victor Civita, a Superbusca da Educação! É um ferramenta que funciona como o Google para fins educacionais: os resultados vêm de uma lista de sites e fontes confiáveis e relevantes para o tema. Vale testar: http://superbuscadaeducacao.org.br/

4) Evitar buscas extremamente específicas
Menos é mais! O Google recomenda começar com poucos termos de pesquisa e refinar os resultados incluindo mais palavras.

Exemplo:
Em vez de: quero saber problemas resolvidos pelo coordenador pedagógico na Educação Infantil
Busque por: problemas educação infantil

Para dicas mais avançadas sobre como fazer buscas, leia as matérias 5 dicas para tornar a pesquisa na internet mais eficiente e Como fazer uma boa busca na internet.

E você? Tem alguma dica para tornar as buscas mais eficientes? Compartilhe conosco!


TAGS: , ,

Deixe um comentário

TOP 5: melhores vídeos divulgados no GENTE QUE EDUCA!

| Sem categoria

Vídeos podem ser um recurso muito educativo. E pelo visto, os usuários do GENTE QUE EDUCA concordam, e muito! Todos os dias, eles compartilham conhecimentos por meio dessa ferramenta, seja para formação pessoal ou para utilização em sala de aula.

Por isso, nesta semana, o blog Tecnologia na Educação apresenta os cinco vídeos mais bacanas divulgados em nossa rede profissional de educadores. Confira!

1- Rubem Alves

O professor Alexandre Rodrigues da Silva indicou um vídeo em que Rubem Alves fala sobre o que ele acredita ser o papel do professor. Dê o play e veja se você concorda com a opinião dele.
Para acessar o post completo, clique aqui.

2- Trabalho em equipe

A embaixadora Alessandra Torres Mendes, que atua como coordenadora, postou um vídeo emocionante chamado “Tree”, ambientado na Índia.
Assista já e clique aqui para ler o post da Alessandra.

3- O buraco no muro

A outra dica de vídeo foi postada por duas educadoras diferentes:  pela Vania de Souza no grupo Tutores EaD e pela Liana Salgado de Campos no grupo Mídias Digitais na Educação! Ele é sobre a iniciativa do pesquisador Sugata Mitra de disponibilizar computadores para a população utilizar gratuitamente. Coincidentemente, a história também se passa na Índia.
Para acessar o post completo de Vania, clique aqui, e o de Liana, aqui.

4- Curso online

O professor Marco Aurelio da Silva Vogel postou três vídeos do curso Google – Fundamentos da Educação no grupo Tecnologia na Aprendizagem. Não perca essa oportunidade de aprendizado!
Escolhemos um para apresentar, mas confira aqui todos os vídeos!

5- Valorização da equipe escolar

Por último, vem a indicação de Nina Turin, que faz parte da equipe do GENTE QUE EDUCA. O vídeo (assista diretamente aqui) discute a importância dos funcionários da cantina e o envolvimento de todos no trabalho educativo desenvolvido nas escolas. Saiba mais no post.

E aí, gostou das dicas? Comente seu preferido aqui no blog. Aproveite para também compartilhar no GENTE QUE EDUCA os vídeos que você gosta.
Até semana que vem! ;)



3 Comentários

11 posts no Twitter legais para conhecer museus do mundo inteiro

Entre os dias 23 e 27, alguns dos museus mais legais do mundo estão participando do #MuseumWeek (Semana dos Museus, em português), uma campanha de divulgação dos seus acervos no Twitter. A organização lançou cinco diferentes temas sobre os quais devem ser postadas imagens e mensagens na rede social: Segredos (#SecretsMW), Souvenirs (#SouvenirsMW), Arquitetura (#ArchitetureMW), Inspiração (#InspirationMW), Família (#FamilyMW), Favoritos (#FavMW) e Poses (#PoseMW). As publicações podem ser feitas pelos perfis dos próprios museus ou por visitantes que tenham passado por eles. Algumas das instituições mais famosas do mundo aderiram ao projeto, como o Museu do Louvre, de Paris, e o Museu Metropolitano de Arte, de Nova Iorque. Aqui no Brasil, o Instituto Inhotim, em Minas Gerais, e o Museu de Arte do Rio, no Rio de Janeiro, são algumas das instituições que também estão participando.

Separamos abaixo algumas das mensagens mais bacanas que encontramos na rede. Nelas você vê bastidores e curiosidades sobre as instituições e o trabalho de seus funcionários. O movimento vai até o final da semana, então vale a pena ficar atento para ver o que será publicado. Para acompanhar as publicações, é só seguir os perfis dos seus museus favoritos ou visitar o site oficial da campanha (em inglês): http://museumweek2015.org/en/.

1.Instituto Inhotim, MG, Brasil

2. Museu de Arte do Rio (MAR), RJ, Brasil

 

3. Centro Pompidou-Metz, Paris, França

Tradução: “As esquipes trabalham duro na montagem da exposição Leiris&Co.”

4. Museu Britânico, Londres, Inglaterra

 

Tradução: “Essa joia escondida é a nossa sala de estudo de impressos e desenhos, lar de mais de 2 milhões de trabalhos em papel.”

5. Museu do Louvre, Paris, França

Respondendo à imagem postada pelo Museu Britânico, a mais famosa instituição da França responde: “Lugar bacana! O que acha da nossa sala de impressos?”

6. Museu de Arte Moderna (MoMA), Nova Iorque, EUA

 

Tradução: “Em 2013, os conservadores do MoMA encontraram uma pintura escondida de Magritte usando um aparelho de Raio-X”.

A imagem publicada pelo museu é o resultado de um raio-X feito na obra “O Retrato”, de 1935. É comum que os museólogos façam esse tipo de procedimento ao estudar um quadro. Foi exatamente o que aconteceu: enquanto os especialistas vasculhavam a pintura para preparar uma exposição sobre seu pintor, o belga René Magritte (1898 – 1967), eles descobriram que o pintor a havia pintado por cima de uma outra obra, considerada perdida desde a década de 1930. O único registro do quadro recém-descoberto é esta fotografia presente um catálogo.

7. Museu do Café, SP, Brasil

8. Museu Antonio Parreiras, RJ, Brasil

9. Museu da Diversidade, SP, Brasil

10. Museu Metropolitano, Nova Iorque, EUA

No desafio #SouvenirsMW, os internautas e os museus são desafiados a publicar imagens dos produtos disponíveis nas lojas dos museus.

Tradução do tuíte: “Você sabia que o mascote do Met é um hipopótamo azul chamado William?”

11. Museu Casa de Portinari, SP, Brasil


TAGS: , ,

1 Comentário

4 apps grátis que vão facilitar sua organização

| blog, Dica de aplicativo, Dica de site, dicas

Estamos no meio de março e o ano letivo já começou para valer! E, com ele, a necessidade de administrar bem a rotina. Afinal, é preciso preparar as aulas, corrigir as muitas tarefas e reservar um espaço na agenda para o estudo. Sem contar a vida pessoal… Haja tempo! Os aplicativos para organizar a vida são uma mão na roda para isso. Muitos permitem fazer listas, alguns a escrever notas de lembrete, e outro tanto ajuda a organizar a agenda. Separamos alguns que podem ajudá-lo a gerenciar as diferentes atividades do dia a dia. Vem ver :)

InClass

Reprodução da página inicial do aplicativo InClass, para organização de tarefas | Crédito:  Reprodução

Reprodução da página inicial do aplicativo InClass, para organização de tarefas | Crédito: Reprodução

É um aplicativo focado na organização escolar. Com ele, é possível visualizar seus horários, fazer anotações que incluam fotos, áudios e documentos e fazer gravações de áudio usando outros apps ao mesmo tempo. Além de permitir anotações completas e interativas, existe a opção de compartilhá-las. Conta com uma lista de contatos, alarme de tarefas para ajudar a lembrar prazos e backup das informações. Compatibilidade: iPhone, iPad e iPod touch.

Trello
Super versátil para a organização da rotina diária, essa ferramenta é uma das mais populares – aqui na redação de NOVA ESCOLA e GESTÃO ESCOLAR, por exemplo, tem vários adeptos. Ela tem funcionamento semelhante aos demais: as tarefas podem ser organizadas por frequência e nível de prioridade. Outra vantagem: roda em todas as plataformas e pode ser usada no computador, smartphone e kindle. Compatibilidade: iPhone, iPad, Windows, Android e kindle.

MyHomework
Com cadastro fácil, o aplicativo permite logar com o perfil de Facebook ou conta do Gmail. Apesar de ser voltado para estudantes, é possível usá-lo para organização do professor. Ele permite adicionar escolas e matérias. Dentro disso, é possível incluir tarefas com descrições, data de entrega, tipo de tarefa, nível de prioridade e lembrete (notificações de alertas para até 3 semanas de antecedência). As atividades são organizadas num calendário. O MyHomeword permite visualizar as tarefas por escola/matéria, prioridade ou tipo de tarefa. Apesar de ser em inglês, sua interface é super intuitiva. Compatibilidade: Windows, Android e iOS.

Week Plan
A ideia do aplicativo não é focar nas demandas diárias e imediatas, mas distribuí-las e conseguir organizar a agenda de atividades por prioridades. Em formato de calendário, você acompanha o desenvolvimento das tarefas e pode convidar outros usuários para participarem do seu planejamento. Ele ainda permite avaliar sua produtividade. É possível se cadastrar com a conta do Gmail. Compatibilidade: Windows, MAC.


TAGS: , , , , , ,

2 Comentários

Seis imagens que chamaram atenção no GENTE QUE EDUCA

| gente que educa

Peças de dominó confeccionadas pela professora Roberta de Camargo

Quem nunca ouviu falar que “uma imagem vale mais que mil palavras”? Se a afirmação é verdadeira ou não, dá para discutir. O fato é que, em tempos de redes sociais, todo mundo quer dizer alguma coisa com imagens. Mostrar, por exemplo, que o almoço está uma delícia ou que Viena é uma cidade belíssima.

É claro que em nossa rede profissional não poderia ser diferente. Os educadores têm aproveitado muito esse recurso (que é facílimo de usar). Por isso, o blog selecionou seis imagens que demonstram: há mil e uma maneiras de ser GENTE QUE EDUCA!

1- Bem na foto

Foto publicada por Robson Luiz Veiga

O professor Robson Luiz Veiga, de Rondon do Pará (PA), fez com a turma um clube de leitura que coube direitinho na foto. Com os livros e tudo!

Veja o post completo aqui.

2- Nem nasceu e já tá no Facebook!

970505_466053343479261_43338314_n

A charge publicada por Luciano Barroso mostra que o professor precisa estar cada vez mais antenado no mundo digital, senão pode acabar ficando para trás.

Veja o post completo aqui.

3- Letras coloridas e olhos fechados

98c2874d3ec19586646c3516bf749dbd

A professora Nicole Fisher Perez sugeriu uma atividade com alunos da Educação Infantil. As crianças (fofas) ficam de olhos vendados e adivinham, pelo tato ou pelas palavras ditas pelos colegas, qual letra sortearam no cesto.

Veja o post completo aqui.

4- Faça você mesmo

Hewlett-Packard

Depois de confeccionar materiais para utilizar com a turma, a professora Roberta de Camargo compartilhou tudo no GENTE QUE EDUCA. As peças de dominó, por exemplo, ficaram bem coloridas.

Veja o post completo aqui.

5- Tem de tudo, até cobra de duas cabeças (OMG!)

Uma das coisas mais legais da internet são os GIFs animados. Pensando nisso, Jorge Luis Jószár de Purgly recomendou um texto sobre o uso de ferramentas do Google na Educação e escolheu esse “animal exótico”, digamos assim, para ilustrar. Merece ou não merece curtidas? :-)

Veja o post completo aqui.

6- Pensando além da própria caixinha

image_52

Essa é para refletir. A embaixadora Flavia Cardoso escolheu uma charge que questiona o papel do professor no desenvolvimento dos alunos. E você, o que pensa sobre isso?

Veja o post completo aqui.

E você, já faz parte do GENTE QUE EDUCA? Faça seu cadastro gratuitamente e compartilhe também suas atividades com educadores de todo o país.

Ah, e não deixe de escrever aqui nos comentários o que achou dos posts. Queremos ouvir você! :-)



4 Comentários